Norte

Tentativa de fuga gera princípio de rebelião no Presídio de Joinville

Polícia Militar foi chamada para dar apoio aos agentes prisionais

Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Uma tentativa de fuga no Presídio Regional de Joinville causou um princípio de rebelião na noite deste domingo (2) de setembro. Por volta das 19 horas, a Polícia Militar foi acionada para dar apoio após um tumulto ter início nas celas dos pavilhões 4 e 5. Segundo o diretor do Presídio de Joinville, Paulo Cleber, os detentos começaram a chutar as grades das celas.

Mais tarde, foi constatado que o tumulto era uma forma de disfarçar tentativas de fugas em várias celas. De acordo com a Polícia Militar, o barulho era usado para que os detentos não fossem flagrados enquanto tentavam serrar as grades.

Ao contrário do que foi divulgado em mensagens nas redes sociais e aplicativos de mensagens, a Polícia Militar informou que não há feridos, já que a ação da PM foi feita apenas com armas não-letais usadas para controlar o princípio de rebelião.

O grupo tático da PM irá passar a madrugada na unidade à espera do Departamento de Administração Prisional – Deap, que virá de Florianópolis para tomar as medidas necessárias.

Durante a noite, familiares de detentos foram para a frente do Presídio de Joinville, que fica no bairro Paranaguamirim, em busca de informações sobre as ocorrências.

Familiares tentaram buscar informações na frente do Presídio Regional de Joinville
Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Sob controle

O Departamento de Administração Prisional – Deap/SC afirmou na noite de domingo (3), por meio de nota, que a situação no Presídio Regional de Joinville está controlada e normalizada. A unidade, no entanto, segue sob monitoramento da Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania (SJC/SC) conforme o órgão.

Com informações do Portal NSC/AN

Notícias Relacionadas

Ladrão morre em tentativa de fuga em Tubarão

Procon fecha dois postos que vendiam gasolina adulterada em Laguna

O órgão interditou os estabelecimentos nesta quinta-feira (4), e irá solicitar à Secretaria da Fazendo a suspensão do alvará de funcionamento por cinco anos.

Caixa não tem como filtrar classe de quem pede auxílio, diz Guimarães

Presidente do banco comentou pagamento de benefício a classes altas

Atividade econômica caiu 7% em abril, estima FGV

Queda recorde na série histórica é em relação ao resultado de março