Segurança

Terceira fase da Operação Madeira de Lei combate extração ilegal em reserva

A operação teve sete alvos entre serrarias, madeireiras, marcenarias e lojas de móveis

Divulgação

O Instituto do Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (IMA), a Polícia Civil e a Polícia Militar Ambiental realizaram em Blumenau, no Vale do Itajaí, a terceira fase da Operação Madeira de Lei, cujo objetivo é interceptar madeira nativa retirada de forma ilegal da área de sobreposição entre a Reserva Biológica Estadual do Sassafrás e a Terra Indígena Ibirama-Laklãnõ.

A operação teve sete alvos entre serrarias, madeireiras, marcenarias e lojas de móveis. Foram vistoriados mais de 1.000 metros cúbicos de madeiras, emitidas cinco notificações para sanar possíveis irregularidades e um auto de infração, que originou uma apreensão de madeira. As ações da operação serão recorrentes na região, para combater a extração e venda ilegal de madeira nativa e garantir a conservação da Reserva Biológica do Sassafrás e da Terra Indígena.

Operação Madeira de Lei

A Operação Madeira de Lei é um esforço conjunto da Reserva Biológica Estadual do Sassafrás, Gerência de Fiscalização do IMA, Coordenadoria Ambiental de Blumenau, Polícia Civil, FUNAI, Polícia Ambiental, IBAMA e Polícia Federal, para desmantelar um esquema de venda e retirada de madeira ilegal da área de sobreposição entre Reserva Biológica Estadual do Sassafrás e a Terra Ibirama-Laklãnõ.

A primeira fase da operação focou a região de Doutor Pedrinho. Contudo, seus desdobramentos indicaram que a madeira é escoada para diferentes cidades do Vale do Itajaí.

Sobre a Reserva Sassafrás

Criada em 4 de fevereiro de 1977, a Reserva Biológica Estadual do Sassafrás tem uma área de 5.229 hectares, dividida em duas partes. A menor possui cerca de 1.361 hectares e está localizada na comunidade de Alto São João, no município de Benedito Novo. A maior possui cerca de 3.868 hectares e fica na comunidade de Alto Forcação, no município de Doutor Pedrinho.

O nome da Unidade de Conservação faz referência à espécie arbórea Ocotea odorifera, conhecida popularmente como canela-sassafrás, ou simplesmente sassafrás, pertencente à família das lauráceas. Presente em elevada abundância na região, a canela-sassafrás foi sobre-explorada a partir do início do século, XX em função da qualidade da sua madeira para a construção civil e de sua grande capacidade de produção do óleo essencial Safrol, com aplicabilidades diversas para a farmacologia, cosmetologia e medicina, fatores que resultaram na sua inclusão na Lista Oficial de Espécies da Flora Brasileira Ameaçada de Extinção.

A Reserva abriga e protege rica biodiversidade de Santa Catarina. Além da fauna e da flora, está repleta de nascentes que formam belos vales de característica ‘encaixada’. Tais nascentes formam cursos d’água, que abastecem os principais rios da região e que são importantes tributários do rio Itajaí.

Notícias Relacionadas

Engenheiro da Famor esclarece aos vereadores de Orleans sobre trabalhos realizados

Na Ordem do Dia, foram aprovados Projeto de Lei Complementar, Moção de Apoio, Requerimento e Indicação.

Um projeto de lei e seis proposições pautam sessão do Legislativo de Lauro Müller

Atletas de Muay Thai, Karatê e Jiu Jitsu de Criciúma conquistam pódio em competições

Disputas foram no Rio de Janeiro e em Videira

“Ela era o tesouro da vida dele”, diz tia de policial morto pela filha em SC

Neife Werlang, de 46 anos, foi morto na sexta-feira (18) em São Miguel do Oeste; duas suspeitas estão apreendidas em Chapecó