Geral

Termelétrica Jorge Lacerda deve ser vendida para empresa de investimentos

Entre as opções debatidas pelo grupo de trabalho do Governo Federal que trata da questão Jorge Lacerda, está a viabilização da venda.

Divulgação

Entre as opções debatidas pelo grupo de trabalho do Governo Federal que trata da questão da Usina Jorge Lacerda, está a viabilização da venda para empresa que dê continuidade por ora as atividades já desenvolvidas com o carvão.

A Engie assinou contrato de exclusividade para venda com a Fram Capital, que vence em junho deste ano. Entre as alternativas estudadas pelo Grupo de Trabalho, que tem entre os representantes que acompanham todas as reuniões o deputado federal Daniel Freitas, do PSL, está o ajuste de questões que possam consolidar a transação mantendo as atividades.

Entre elas está a Conta de Desenvolvimento Energético, CDE. A vigência da Lei que criou a CDE é até 2027 e o subsídio é um dos pilares para o funcionamento da usina. Por isso, está em pauta possibilidade de estender a vigência até 2035.

A Engie está em processo de “descarbonização” de suas empresas e por isso a decisão sobre a venda. A Usina termelétrica Jorge Lacerda, em Capivari de Baixo, é a maior produtora privada de energia elétrica do Brasil.

O assunto foi tratado também na Assembleia Legislativa de Santa Catarina nesta segunda-feira onde o representante da Engie Brasil admitiu que a intenção é vender a termelétrica para a empresa de Capital Fram Brasil.

Ocorre no entanto, que mais alguns detalhes estão em conversação. Entre eles impostos como PIS e Confins e a discussão sobre passivo ambiental das mineradoras de carvão.

Nova reunião da Comissão de Economia da Assembleia Legislativa está marcada para o dia 24 de maio.

Com informações do site ND Mais

Notícias Relacionadas

Grupo RB celebra sucesso e ampliações após cinco anos de fundação da primeira loja

Governo do Estado amplia em quase 70% os investimentos e aplica R$ 18,8 milhões em conservação de rodovias em 2020

O repasse para conservação das SCs teve um salto de 69,4% no primeiro semestre de 2020, se comparado ao mesmo período do ano passado.

Ex-secretário de Administração de Orleans e empresa tem bens bloqueados

Segundo o Ministério Público, Eduardo Bertoncini era responsável pela pasta na gestão do ex-prefeito Marco Antônio Bertoncini Cascaes

Portal da Transparência: população pode tirar dúvidas de investimentos para combater à Covid-19 em Criciúma

Criciumenses podem mandar também sugestões para o governo municipal.