Esporte

Tigre tropeça e apenas empata em casa com o Paysandu

Em uma partida sem grandes chances de gols, Criciúma fica no 0 a 0 com o time paraense e desperdiça a chance de vencer a primeira das seis finais nesta fase da Série C do Brasileiro. Torcida apoia o time, mas vai embora frustrada com o resultado.

Divulgação

A estreia do Tricolor Carvoeiro, na segunda fase da Série C do Brasileirão, não foi como a torcida esperava. No reencontro do time com os torcedores, na competição nacional, o Criciúma não saiu do 0 a 0 com o Paysandu, na noite deste domingo. O time desperdiçou a chance de largar com três pontos na etapa decisiva da Terceira Divisão. Foi um jogo com poucas oportunidades de gols para ambos os lados. Os goleiros pouco trabalharam e o empate acabou sendo justo. Agora, a atenção do Criciúma volta para a Copa Santa Catarina: na quarta-feira, às 15 horas, tem clássico contra o Avaí, no Majestoso.

A partida começou com muita marcação de ambos os lados. O Criciúma tentou buscar mais o ataque, enquanto o Paysandu apostava em contra-ataques. Aos três minutos, Danrlei foi lançado por Marino e cruzou rasteiro, na área, mas a zaga do Tigre afastou. No minuto seguinte, Silvinho inverteu para Alemão, que foi derrubado pela defesa, mas a bola sobrou para Fellipe Mateus, que bateu fraco e Victor Souza pegou com facilidade. Aos seis minutos, Henan recebeu a bola na área e tentou completar, mas a zaga afastou para escanteio. Na cobrança, a bola ficou com Helder, na esquerda: o camisa 6 bateu cruzado, mas a zaga tirou. Pressão do Tigre em busca do gol.

A bola corria bastante em um jogo movimentado, porém, sem chances claras para ambos os lados, nos primeiros 15 minutos. O Criciúma seguia buscando o ataque, principalmente com Fellipe Mateus, mas não conseguia completar as jogadas. Aos 27 minutos, Alemão cruzou da direita e Henan disputou de cabeça com Perema, mas mandou pela linha de fundo. Os dois goleiros seguiam sem ser exigidos.

A partir dos 30 minutos, o jogo ficou mais faltoso com divididas mais fortes e menos lances claros de gol. Dois minutos depois, Robinho recebeu a bola na esquerda e sentiu uma lesão. O jogador foi substituído por Marlon. Aos 36 minutos, Eduardo cruzou da direita e a bola passou entre as pernas dos zagueiros, mas também do atacante Silvinho. Chance desperdiçada pelo Tigre. A partida seguia com o time treinado por Paulo Baier buscando os lances pelos lados do campo. Um jogo muito truncado na primeira etapa. Aos 41 minutos, Fellipe Mateus cobrou falta e Marcel desviou pela linha de fundo, sem perigo. Aos 43 minutos, em disputa de bola, Fellipe Mateus pediu toque de mão de Paulo Roberto, mas o árbitro nada marcou. A primeira etapa encerrou sem grandes chances de gols. Após o apito final do primeiro tempo, a torcida não poupou o árbitro carioca Alexandre Vargas Tavares de Jesus.

Poucas mudanças na segunda etapa de jogo

O Criciúma voltou buscando o ataque, mas muito marcado pelo adversário que jogava para tentar buscar um contra-ataque. O cenário da partida não foi muito alterado, em relação à etapa inicial. Aos nove minutos, a melhor chance do jogo. E foi para o Paysandu. Marlon cruzou da direita, Marino recebeu na marca do pênalti, mas o volante do time visitante desperdiçou uma oportunidade claríssima de marcar. Aos 10 minutos, Marcão entrou no lugar de Henan, em uma tentativa de Paulo Baier em ganhar as bolas na área do adversário. As duas equipes se entregavam muito na marcação e não permitiam que o adversário avançasse com liberdade.

Aos 17 minutos, Marcão tocou para Fellipe Mateus na direita, que avançou a bateu cruzado, mas a bola passou por Eduardo, que não conseguiu completar. A bola atravessou a área e saiu. Aos 20 minutos, Marcão fez boa jogada pela direita, passou por dois adversários, mas errou na hora do cruzamento. Aos 28 minutos, o Criciúma estabeleceu uma pressão no ataque com dois escanteios seguidos, mas a zaga do Paysandu afastou.

Aos 29 minutos, Danrlei avançou pela esquerda e fechou para a área, após enfiada de bola de José Aldo, mas foi travado pela zaga do Criciúma, na sobra, Marlon finalizou pela linha de fundo. O Paysandu seguia com uma marcação forte e não permitia avanços do Tricolor Carvoeiro. Aos 38 minutos, Maranhão pegou pela intermediária e bateu forte, mas o goleiro Victor Souza espalmou para escanteio. A bola iria no ângulo superior do goleiro do Paysandu. Aos 43 minutos, Alemão foi lançado na área e tentou bater, mas furou em bola. No final, 0 a 0 com frustração para o Tigre e os pouco mais de dois mil torcedores que estiveram no estádio.

Com informações do site TNSul

Notícias Relacionadas

Próspera lança plano de sócio para a temporada

Neste primeiro momento, três tipos de modalidades estão disponíveis para a torcida.

Abertura da rodada do Catarinense tem empate entre Chape e Criciúma e um novo líder

Neste sábado (15), dois grandes jogos abriram a sexta rodada do Campeonato Catarinense Série A 2020.

Núcleo do Projeto Tigrinhos chega aos municípios da Amesc

Convênio foi assinado entre Unesc, o Criciúma e a Prefeitura de Praia Grande.

Torcida do Criciúma briga entre si no empate com o Figueirense

Confusão começa logo após o adversário abrir o placar no Orlando Scarpelli