Geral

Torneio de canastra proporciona reencontro de primas que não se viam há 15 anos

Além de promover diversão aos que participam do Serviço de Fortalecimento de Vínculos da Pessoa Idosa, o Torneio de Canastra da Associação Feminina de Assistência Social de Criciúma (Afasc), também proporcionou o reencontro de primas que não se viam há 15 anos. O evento aconteceu durante esta quinta-feira (11), no Centro de Convivência da Terceira Idade. Dalva Mendes, de 64 anos, foi quem reconheceu a prima Norma Schaukoski, de 78 anos. O torneio foi organizado com o intuito de promover a integração entre os grupos, no entanto, nenhum dos presentes esperava tanta emoção.

A coordenadora da Assistência Social da Afasc, Naiany Colombo Dias, afirmou que ficou emocionada com o resultado. “Às vezes seguimos caminhos diferentes na vida e acabamos nos distanciando de alguns familiares. Esses encontros promovem o reencontro de amigos, mas jamais imaginávamos que proporcionaríamos um reencontro de primas”, contou entusiasmada. Dalva lembra que estava na fila do café da manhã quando avistou a prima mais velha. “Eu olhei para ela e dei um sorriso, mas ela não me reconheceu, depois achava que eu era comadre dela, foi aí que eu disse: sou eu, a Dalva. Então nos abraçamos”, recordou aos risos. Norma ainda brincou que como é mais velha não reconheceu a prima que também já envelheceu. “Nós vamos trocar os telefones para não ficarmos mais 15 anos sem contato”, comentou.

Dalva participa do grupo de idosos do Metropol e Norma, moradora de Forquilhinha, está no grupo da Cruz Vermelha no bairro Pinheirinho, onde morou há alguns anos.

Jogos

As disputas durante o dia foram programadas pelo método simples, com sistema eliminatório de duplas. Segundo o técnico de atividades físicas, Marlon Delfino Gregório, os participantes foram divididos em 24 duplas. “Cada jogo vai até 2 mil pontos e as duplas que perderam dois desafios foram eliminadas”, explicou.

A coordenadora pedagógica do centro, Janaina Scaine Dutra, avalia que o torneio é muito importante para o idoso, já que os jogos de mesa trabalham a memória, coordenação motora, concentração e o raciocínio rápido. “Essa ação visa a união, integração, recreação, lazer, amizade e, também, mantém o respeito entre os participantes dos grupos de idosos da Afasc”, complementou o gerente do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, Zolnei Vargas.

Colaboração: Jussi Moraes 

  • c19690fc5cd57d55a345cc6bc55dd9db
  • p17v87ud2c1hch1aik1mjmgd1vht3
  • p17v87ud2cn7u14bj1lpm1iii1ool4
  • p17v87ud2c1de41ln51pcaofu16bb5
  • p17v87ud2cd2n9nd1cq3vbrkpl6