Geral

Ucraniano é dispensado da guerra e planeja voltar a SC para reencontrar filho

Esposa, sogra e filho do artista plástico conseguiram fugir e desembarcaram em solo brasileiro no avião da FAB na última quinta-feira

Divulgação

O ucraniano Volodymyr Borodin, que já morou em Balneário Camboriú com a família, recebeu a liberação do serviço militar e não precisará lutar na guerra contra a Rússia. O artista plástico planeja voltar para o Brasil nesta segunda-feira (14) para se juntar ao filho catarinense de três anos.

– Eu não estou acreditando, estou emocionado, só vou acreditar quando conseguir passar a fronteira – disse.

Por causa dos ataques russos, homens maiores de 18 anos que ainda estão na Ucrânia são convocados para combater o exército do país vizinho. A convocação ocorre desde 24 de fevereiro, quando o presidente Vladimir Putin autorizou o início do bombardeio.

Para ser liberado das atividades militares, o ucraniano de 50 anos precisou renovar o atestado que comprova a liberação do serviço. O documento estava vencido, e a autorização foi confirmada no último sábado (12). O homem tem problemas de saúde e apenas um rim.

Até receber a liberação, Borodin aguardava em Suscovo, cidade que fica na região da fronteira entre a Ucrânia e a Eslováquia. Nesta terça-feira (15), o ucraniano deve fazer uma viagem de ônibus para a Republica Tcheca, onde embarca em um voo comercial até São Paulo.

A mulher, sogra e o filho de Borodin chegaram no Brasil na última quinta-feira (10), no avião da Força Aérea Brasileira (FAB) que desembarcou em Brasília. O filho do artista nasceu em Balneário Camboriú, no Litoral Norte, por escolha da família.

Fuga

O artista e a mulher têm visto permanente do Brasil e, desde 5 de março, tentavam deixar o país em guerra. Eles chegaram a fazer uma viagem de trem de 14 horas, enfrentando temperaturas abaixo de 0°C.

Conflito

A Rússia exige que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) interrompa sua expansão em direção ao leste europeu. O presidente Vladimir Putin disse considerar inaceitável a filiação da Ucrânia à aliança militar integrada pelos Estados Unidos.

Segundo Putin, a Rússia se viu “sem escolhas” a não ser se defender contra o que ele classificou como ameaças da Ucrânia – um estado democrático com uma população de 44 milhões de pessoas.

Com informações do g1

Notícias Relacionadas

Grave acidente deixa duas pessoas feridas na BR-470 em SC após veículo colidir em muro

O caminhão invadiu a pista contrária e colidiu no muro após o freio travar; uma caminhonete bateu na frente da carreta.

Homem com mandado de prisão ativo é detido em Criciúma

A Polícia Militar realizava patrulhamento de rotina no bairro Vila Manaus quando avistou o indivíduo com atitudes suspeitas

Alunas denunciam professor de karatê por crime de estupro em Içara

Boletins de ocorrência já foram abertos e o caso já está sendo investigado pela Polícia Civil

Suspeito de matar homem com tiro no meio da rua em SC é preso

Suspeito teria atirado à queima-roupa na cabeça da vítima, que chegou a ser atendido, mas não resistiu