Geral

Vendas podem apresentar queda no Dia dos Pais, avaliam lojistas

Maioria dos comerciantes prevê redução de 5% nas vendas

Divulgação

Levantamento feito pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo mostrou que 55% dos lojistas preveem queda de 5% nas vendas para o Dia dos Pais. Outros 25% dos empresários acreditam que as vendas caiam 10% e os 20% restantes dos comerciantes esperam estabilidade. Para os lojistas, os setores que mais podem ser favorecidos nas vendas são vestuário, calçados, perfumes, eletrônicos e ferramentas.

“Após quatro meses do anúncio da quarentena, ainda estamos vivendo o impacto econômico devido à crise causada pelo novo coronavírus. Diante desse cenário, o comércio varejista reflete impactos negativos nas vendas, como a expectativa para o Dia dos Pais”, avaliou o presidente da federação, Maurício Stainoff.

De acordo com a pesquisa, 95% dos donos de lojas acreditam que a liquidação de inverno pode favorecer as vendas por coincidir com a data e assim chamar a atenção dos consumidores, impulsionando as compras. Para 5%, os consumidores estarão em busca de outros tipos de presentes.

Para 60% dos lojistas, a maioria das compras será feita pela internet para receber o produto em casa, devido ao fato de que grande parte dos consumidores ainda está receosa de sair de casa por causa dos riscos de contrair a covid-19.

Notícias Relacionadas

PIB tem queda de 4% no trimestre encerrado em julho, aponta FGV

Na comparação com junho, PIB cresceu 2,4% no mês

Serra do Rio do Rastro fica interditada temporariamente após vendaval

Houve queda de algumas pedras, árvores e postes sobre a rodovia. Nesta manhã de terça (12), o trânsito flui normalmente no trecho, porém, com registro de vento e muita chuva.

Suspeito de furto sobrevive ao cair de telhado de empresa em Tubarão

Vítima foi encontrada pelo proprietário da empresa. Segundo informações, indivíduo estava com hálito alcoólico.

Com Selic em queda, poupança pode passar a render menos que a inflação

Isso pode acontecer porque os rendimentos da poupança são 70% da Selic, mais a Taxa Referencial (TR), que está zerada.