Trânsito

Via Rápida estará iluminada até dezembro

Trabalhos começaram no início do mês

Divulgação

Os quase 13 quilômetros da Via Rápida, entre Criciúma e Içara, estarão iluminados até dezembro. Esta é a previsão da Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), que informou que os trabalhos começaram no início de fevereiro. A execução da obra está sob responsabilidade da empresa Santa Rita, de Florianópolis.

De acordo com informações apuradas pela reportagem no local, a etapa de demarcação dos postes duplos, que receberão duas luminárias de LED, já está sendo finalizada. As escavações devem começar na próxima semana, onde será instalada a rede subterrânea de energia. A empresa está com 14 trabalhadores empenhados na obra. A previsão de conclusão é de 10 meses.

Orçado em R$ 6,44 milhões, o contrato foi firmado pelo Governo do Estado em novembro passado. Quando o sistema estiver em operação, os custos com a iluminação serão cobertos proporcionalmente pelos municípios de Criciúma e Içara, com recursos da Contribuição para o Custeio da Iluminação Pública (Cosip).

A Celesc, por meio de nota, informou estar acompanhando o andamento do cronograma e que, até o momento, os prazos estão sendo cumpridos. “As etapas da realização do projeto envolvem aquisição de materiais pela empresa executora, a implantação dos postes de iluminação ao longo na via, a fiscalização da rede implantada e a energização da mesma. O projeto prevê a instalação de luminárias de LED ao longo dos 12,7 quilômetros do trajeto”, assinala o órgão.

Segundo a Celesc, serão instalados 546 postes e 903 luminárias. O empreendimento será custeado por convênio pelo Estado, com recursos oriundos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), sem contrapartida dos municípios.

Maior segurança aos condutores

Inaugurada no final de 2017, a Via Rápida enfim deixará a escuridão. Por quase cinco anos os motoristas precisaram trafegar sem iluminação pública no percurso entre a BR-101 e o bairro Ana Maria, em Criciúma. A novela está próxima do fim.

O comandante da Polícia Militar Rodoviária (PMRv) de Içara, sargento Anísio de Souza Fraga pondera que o fator da iluminação é indispensável para um trânsito seguro. “A questão da visibilidade artificial, aliada à iluminação dos faróis dos veículos em conjunto, dão mais segurança e tranquilidade para os condutores. Ainda mais em condições climáticas adversas, como chuva, neblina…”, declara.

Ele também acrescenta que a Via Rápida, por ter curvas, viadutos e vários acessos diferentes de bairros vizinhos, sem dúvidas é uma rodovia que precisa ser bem iluminada. “Acontecem acidentes de trânsito com certa freqüência, principalmente saídas de pista. Uma pista escura sempre é mais perigosa. O projeto inicial tinha iluminação, o correto era existir desde o início, mas ela foi inaugurada deste jeito. A nossa expectativa é que após a conclusão a estrada fique mais segura”, comenta o comandante.

Responsável pelo trecho, a PMRv de Içara não registrou ocorrências de assalto desde que a Via Rápida foi entregue. “Tivemos informações de dois ou no máximo três casos deste tipo, destas, duas, com certeza, eram falsas. Esse tipo de situação acontece mais nas áreas urbanas, ali é bem menos provável”, arremata Fraga.

Com informações do TNSul

Notícias Relacionadas

Cidade de SC oferece abrigo emergencial para pessoas em situação de rua após alerta de frio intenso

Estrutura é aberta nas noites de forte frio, quando as temperaturas ficam abaixo de 10 ºC; nesses dias, as abordagens e atendimentos são feitos das 19h às 7h

Estado anuncia que ampliará leitos de UTI infantil

Unidades de Terapia Intensiva para bebês e crianças enfrentam problema de superlotação em SC

Sensação térmica pode chegar a -20°C na Serra de SC; saiba como se proteger

O frio intenso que atinge Santa Catarina nesta semana pode provocar sensações térmicas abaixo de 0°C em algumas cidades do Estado. No alto da Serra, a previsão é de que moradores sintam frio de até -20°C.

Pão e macarrão podem ficar mais caros em SC com onda de calor na Índia

Segundo maior produtor de trigo do mundo, país bloqueou as exportações do produto por conta da seca