Turismo

Vindima Goethe, evento que celebra colheita da uva no Sul de SC, ocorrerá em janeiro

Vindima Goethe, evento que celebra colheita da uva, ocorrerá no mês de janeiro em Urussanga

Fotos: Ketully Beltrame / Sul in Foco

Foi lançada oficialmente a Vindima Goethe 2018, que será realizada entre os dias 19 e 21 de janeiro, em Urussanga. Neste ano, comemora-se a primeira década do evento que celebra a colheita da uva em janeiro na região dos Vales da Uva Goethe, no Sul de Santa Catarina. Além disso, no próximo ano, completarão 120 anos da Uva Goethe na região de Urussanga e Pedras Grandes.

A cerimônia de lançamento se deu nas dependências da vinícola Vigna Mazon e contou com a presença dos organizadores do evento, que ocorre graças à união entre a Progoethe (Associação dos Produtores da Uva e do Vinho Goethe de Urussanga), a Prefeitura de Urussanga, o Núcleo de Turismo da Associação Empresarial de Urussanga – ACIU, a Epagri e o Governo de Santa Catarina.

Entre os presentes, estava o prefeito Gustavo Cancellier; o secretário de Agricultura, Marco Zanellatto; o diretor de Cultura e Turismo, Paulo Henrique Savio; Giselda Trento Mazon, presidente da ProGoethe, e demais representantes da associação; o profissional da Epagri, especialista em vitivinicultura, Stevan Grutzmann Arcari; e entre outros profissionais do setor vitivinicultor.

Vindima Goethe, evento que celebra colheita da uva, ocorrerá no mês de janeiro em Urussanga

Foto: Ketully Beltrame / Sul in Foco

O diretor de Cultura e Turismo de Urussanga explicou como o evento iniciou. “A iniciativa foi criada para fazer um agradecimento das mãos que colhem. Esta foi a forma para confraternizar e trazer este resgate cultural para dentro do município”, explicou Paulo Henrique Savio.

Segundo ele, o objetivo da 10ª edição é repetir o sucesso do evento realizado em 2017. “Em janeiro deste ano, foi a edição mais numerosa que tivemos, na qual conseguimos fazer com que o turista realmente viesse participar. Em 2018, temos uma projeção de peso porque tem essa mensagem de fomentar o turismo em Urussanga, por meio de ações dentro da programação para levar os turistas para dentro das vinícolas e em um roteiro turístico dentro do município. Esperamos conseguir um resultado igual ou melhor que o de 2017”, ressaltou.

O prefeito de Urussanga, na oportunidade, destacou que a Administração Municipal estará ligada diretamente a todas as ações que envolvam cultura, tradição e, por consequência, o turismo e o desenvolvimento da cidade. “A Prefeitura de Urussanga tem consciência muito grande do que representa a uva e o vinho Goethe atualmente, tanto na questão cultural quanto econômica. Pretendemos caracterizar o que temos de melhor”, frisou.

“Somos a cidade da região que mais cultiva a tradição da cultura italiana. Até porque, além da cultura e tradição, temos um produto diferenciado, a Uva Goethe, e os produtos que ela gera: o vinho e o espumante Goethe. Gostaríamos de parabenizar a todos os envolvidos por terem introduzido a questão cultural, acredito que será mais um grande passo de sucesso, e também desejar que consigamos cumprir com os objetivos, que é divulgar nosso produto e trazer os turistas para o município”, acrescentou.

Programação

Foto: Ketully Beltrame / Sul in Foco

A programação dos três dias do evento consiste em atividades enogastronômicas e culturais em Urussanga e visitas técnicas no município de Pedras Grandes. O objetivo é atrair turistas que estarão no Litoral catarinense para conhecer e apreciar os vinhos brancos, frisantes e espumantes.

Visitas aos parreirais e colheita de uvas, exposição e venda de artesanato e produtos coloniais, celebração religiosa, esmagamento da uva com os pés, entrega de condecorações, exposições e manifestações artísticas e passeios com guia turístico são as ações que integram a programação

Cinco vinícolas associadas, produtores de uvas de Urussanga e de Pedras Grandes, produtores artesanais de vinho, a Sorveteria Concer, responsável pelo Sorvete da Uva Goethe, e o Grupo Amici Della Polenta estarão envolvidos no evento.

Expectativa da colheita de 2018

Foto: Eliana Maria Maccari

O gerente da Estação Experimental da Epagri de Urussanga, especialista em vitivinicultura, Stevan Grutzmann Arcari, explicou como será colhida. “Tivemos um ano com um inverno fraco, pouco frio. Para a uva, isso é um pouco ruim, pois é uma fruta que necessita de um período mínimo de frio no inverno para fazer a dormência de maneira correta e depois ter uma brotação eficiente. Com isso, prejudicou o volume de chuva no vinhedo”, explicou.

“Na primavera, foi um período bastante seco, deixando os cachos um pouco menor. Em termos de quantidade, a própria planta emitiu menos uva. Já de positivo, o que ocorreu é que as chuvas ocorreram de maneira regular, tivemos uma quantidade excelente de sol e água suficiente para a planta se desenvolver bem”, completou.

O resultado, segundo ele, será positivo, com garantia de vinho de boa qualidade. “Chegamos à safra com uma perspectiva de colher menos uva do que o normal, mas não temos como estimar um número exato. A boa notícia é que terá uma qualidade muito boa, em função do clima de setembro para cá, que permite plena maturação da uva e que ele se desenvolvesse de maneira bem saudável para que os frutos acumulassem compostos de aroma e de sabor, gerando um vinho de excelência”, adiantou.

Indicação Geográfica

No setor vitivinicultor de Santa Catarina, a região Vales da Uva Goethe possui a primeira e única Indicação Geográfica de Procedência (IP). Conforme informações do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, “Indicação Geográfica é usada para identificar a origem de produtos ou serviços quando o local tenha se tornado conhecido ou quando determinada característica ou qualidade do produto ou serviço se deve a sua origem”.

Além disso, a variedade foi reconhecida pelo movimento internacional Slow Food ao ser inserida no catálogo mundial como um produto de identidade cultural e histórica a ser preservado e protegido de extinção. A região Vales da Uva Goethe abrange os municípios de Urussanga, Pedras Grandes, Morro da Fumaça, Cocal do Sul, Treze de Maio, Nova Veneza, Içara e Orleans.

“Ele é um vinho bastante emblemático, totalmente diferente dos outros. Nós estamos localizados em uma região de mina de carvão e muito próximos do mar. Estas características são muito importantes para nossos produtos. Os resultados nos dão muito orgulho e ocorrem graças ao esforço de muitas pessoas”, afirmou a presidente da Associação ProGoethe, Giselda Trento Mazon.

  • IMG_7205
  • IMG_7208
  • IMG_7218
  • IMG_7226
  • IMG_7237
  • IMG_7247
  • IMG_7250
  • IMG_7217
  • IMG_7235
  • DSC_4506[1]
  • DSC_4529[1]

Notícias Relacionadas

Com aperfeiçoamento constante, Associação de Apicultores de Orleans é destaque em Santa Catarina

Seminário discute desenvolvimento da cadeia leiteira no Sul de Santa Catarina

ALERTA: Período de seca pode comprometer consumo de água em Lauro Müller

A represa localizada em Rio Bonito, a qual abastece os setores de abrangência da companhia em Lauro Müller, está quase seca.

Com temperatura negativa, Serra tem até ‘boneco de geada’