Geral

‘Achei que tinham deixado um defunto pra mim’, diz vítima surpreendida por caixão em SC

A história foi registrada no último sábado (2), quando a costureira Janete Salvador, 47 anos, acordou de madrugada e viu o caixão encostado em um poste de energia elétrica em frente a sua casa.

Foto: Divulgação

O caso de uma moradora de Timbó, no Vale do Itajaí, que acordou com um caixão na frente da residência virou caso de polícia e pode levar a uma denúncia do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina). A história foi registrada no último sábado (2), quando a costureira Janete Salvador, 47 anos, acordou de madrugada e viu o caixão encostado em um poste de energia elétrica em frente a sua casa.

Janete conta que ela não sabia se havia ou não um corpo dentro do caixão, por isso ficou assustada e chamou a polícia. “Eu até achei que tinham tirado ele do cemitério e tinham colocado um defunto aqui pra mim”, relembra.

Apesar de ser uma situação inusitada, o delegado de Timbó, André Beckham, destaca que um termo circunstanciado foi instaurado para apurar a ocorrência e, se de fato for confirmado o crime de ameaça, o caso será apresentado ao MPSC que pode levar a pessoa que colocou o objeto a ser processada em uma ação penal.

“O crime de ameaça tem pena de um a seis meses. Esse crime pode ser feito por palavras ou por gestos e colocar o caixão na frente da casa da vítima me parece uma tentativa de intimidação”, destaca o delegado.

A vítima afirma que há suspeitos de quem pode ter feito a ação. “Temos imagens, a polícia está trabalhando pesado em cima disso e com certeza vai chegar na pessoa que fez essa brincadeira de mau gosto, mas estamos levando na esportiva”, garante.

Como tudo aconteceu

Janete conta que quando acordou de madrugada, olhou pela janela e viu o caixão em frente a sua casa, levou um susto e começou a passar mal. “Minha primeira reação foi chamar minhas filhas, que estavam comigo na casa e, em seguida, chamar a polícia. Eles foram muito rápidos e prestativos, me acalmaram, abrimos o caixão, vimos que não tinha nada. No final ainda acabou virando uma piada”, conta Janete.

A costureira está levando a situação na brincadeira e diz que cão que ladra, não morde. “Ameaçar com um caixão? Eu nem sei o que a pessoa quis com isso. Deixaram o caixão na frente da minha casa, foi um presente que me deram, eu vou vender e comprar roupas”, brinca.

Atualmente, o caixão está em uma funerária de Timbó que aceitou ficar como depositário.

Com informações do ND+

Notícias Relacionadas

Justiça confirma dano moral e estético à vítima de erro médico no sul do Estado

A vítima receberá um total de R$ 11,1 mil, acrescidos de juros e correção monetária.

Filha de vítima de latrocínio será indenizada em R$ 300 mil pelo autor do crime em Santa Rosa do Sul

O crime ocorreu em março de 2013, na cidade de Santa Rosa do Sul, e o acusado foi condenado a 20 anos de reclusão em regime fechado.

Corpo de Bombeiros Militar encontra vítima que estava desaparecida desde o Ciclone em SC

Agora são 10 óbitos contabilizados pelo CBMSC por conta do ciclone.

Criminosos anunciam falso sequestro para conseguir dinheiro de vítima de Jaguaruna

O homem foi vítima de extorsão após os criminosos terem anunciado o falso sequestro de seu filho.