Geral

Alerta perigoso! Chuvas devem voltar ao RS com volumes de 120 mm

A Defesa Civil do RS alerta para a volta das chuvas intensas durante a sexta-feira (14) e a segunda-feira (17)

Foto: AFP/ND

As chuvas devem voltar ao Rio Grande do Sul entre a sexta-feira (14) e a segunda-feira (17), segundo a Defesa Civil. O órgão ainda aponta que uma frente fria deve avançar pelo Estado gaúcho.

Conforme a previsão, os volumes devem ser de 50 a 120 mm nas regiões das Missões, localizada no Centro e Noroeste. Já em Porto Alegre, nos Vales e Serra, a previsão é de volume menor entre 45 e 75 mm.

Quer receber as principais notícias da região? Clique aqui e entre no nosso grupo de WhatsApp e fique atualizado de forma rápida e confiável

A Defesa Civil revela que permanece a condição de novo bloqueio atmosférico no Brasil central, que deve fazer com que frentes frias e instabilidades fiquem atuando no Sul do país.

Balanço das enchentes devido às chuvas no RS

Após as chuvas intensas no Estado gaúcho, cerca de 478 municípios foram atingidos e deixaram mais de dois milhões de pessoas afetadas.

O órgão ainda revela que 38 pessoas estão desaparecidas e 173 morreram.

Com informações do ND+

 

Notícias Relacionadas

Governo Municipal divulga calendário para cadastramento relativo ao saque do FGTS dos atingidos pelas chuvas de maio

O atendimento será realizado a partir da próxima terça-feira (22), seguindo até sábado (26), no Centro de Múltiplo Uso, na rua Humberto Salvan, no bairro Esperança.

Alagamentos e enchentes exigem ações para prevenção de doenças

Tribunal de Justiça alerta para golpe de precatórios que registra 20 vítimas no Estado somente em 2020

Com os dados dos credores, uma quadrilha liga ou manda mensagem pelo aplicativo WhatsApp apresentando-se como funcionário do advogado da vítima, servidor do TJSC ou especialista que promete antecipar o pagamento mediante um depósito pelo serviço.

Cidasc alerta que comércio ambulante de mudas em Santa Catarina é proibido e deve ser denunciado

Essa proibição tem como objetivos, evitar a introdução de novas pragas no estado, bem como garantir a idoneidade das mesmas, contribuindo para o aumento da produtividade e da competitividade do setor agrícola catarinense.