Geral

Após escândalos, Município de Lauro Müller pede suspensão de todos os processos que tramitam na Justiça

Pedido se deu após Justiça suspender contratação de serviços advocatícios terceirizados.

Divulgação

O Município de Lauro Müller, por intermédio da procuradora Ana Cristina Correa de Melo, solicitou, na última sexta-feira, dia 30, à juíza de Direito da Comarca de Lauro Müller, Maria Augusta Tonioli, que os prazos processuais da Prefeitura sejam suspensos até o retorno da prestação de serviços por um advogado contratado. O pedido foi justificado pela impossibilidade de atender a atual demanda de trabalho.

O pedido da procuradora foi feito em virtude da medida liminar em Mandado de Segurança, que suspendeu, na última quinta-feira, dia 29, o contrato de serviços advocatícios. A decisão da juíza se deu após um escritório de advocacia alegar que foi indevidamente desclassificado do pregão presencial nº 033/PMLM/2021, que visa a contratação de serviços técnicos especializados de assessoria jurídica.

A juíza considerou ainda que causa estranheza os motivos alegados para rejeição de tal proposta, que é mais vantajosa à Administração Municipal que as demais, inclusive, da que considerada vencedora pela Administração Municipal. Por isso, foi determinada a imediata suspensão do processo licitatório e, no caso de descumprimento, foi fixada multa diária no valor de R$ 300, limitada a R$ 10 mil.

MPSC apura fraudes na contratação de serviços de advocacia

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), por meio da Comarca de Lauro Müller, deflagrou duas Ação Civis Públicas (ACP) contra a prefeita Saionara Correa de Carvalho Bora por supostas fraudes em dois processos licitatórios para contratação de serviços especializados de advocacia.

A ACP nº 5000595-66.2021.8.24.0087 trata de irregularidades ocorridas no processo licitatório no âmbito da Fundação de Saúde de Lauro Müller (Fundação Hospitalar Henrique Lage). Neste, são réus (acusados): a prefeita Saionara Correa de Carvalho Bora, a diretora da Fundação Hospitalar Regina Ramos Antunes, o advogado Luiz Marcos Bora Junior e o escritório de advocacia Luiz Marcos Bora Sociedade Individual de Advocacia.

Já a ACP nº 5000625-04.2021.8.24.0087 averigua suposta fraude no âmbito da Secretaria de Administração do Município. Neste, os denunciados são: a prefeita Saionara Correa de Carvalho Bora, o secretário Municipal de Administração José Artur Fernandes, o advogado Rafael Dagostin da Silva e o escritório de advocacia Rafael Dagostin da Silva Sociedade Individual de Advocacia.

Notícias Relacionadas

Jovem morre após carreta de grãos tombar na SC-150 em SC

Acidente ocorreu na manhã desta segunda-feira (20) no interior do município

Educação de Criciúma lança concurso público para cargos de professor e servente

Taxa de inscrição é de R$ 50 para nível fundamental e R$ 100 para nível superior

50 pessoas são contratadas no Balcão de Empregos em Criciúma

Número foi o recorde de contratações nas edições realizadas da iniciativa

Rodovia Manoel Gregório Pacheco terá ciclofaixa

Aditivo no contrato foi um repasse do Governo do Estado ao município de Içara