Geral

Atividades presenciais da Feira da Agricultura Familiar de Criciúma retomam em março

Os 15 produtores rurais cadastrados oferecem uma variedade de pães, doces, frutas, legumes, embutidos e derivados de milho

Divulgação

Tradição no Município de Criciúma, a Feira da Agricultura Familiar tem previsão de retornar suas atividades presenciais no mês de março. Trata-se de uma iniciativa da Gerência de Agricultura e Agronegócio, em parceria com a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), que acontece desde 2018. Os 15 produtores rurais cadastrados comercializam itens com variedades de pães, doces, frutas, legumes, embutidos e derivados de milho.

Todos os protocolos de prevenção da Covid-19 serão exigidos, como distanciamento entre as barracas e disponibilização de álcool em gel 70%. Também não será permitida a circulação das pessoas sem máscara, o uso é obrigatório para o público em geral. “A feira agrega muito para a cidade, pois mostra o nosso lado social, aumenta a renda de quem produz e oferece produtos de qualidade aos consumidores com bons preços”, ressaltou o gerente de Agricultura e Agronegócio, Vanderlei Zilli.

Além disso, o sistema delivery continuará sendo oferecido. Os pedidos podem ser feitos de segunda a quarta-feira até as 21h, através do site, WhatsApp pelo número (48) 9 9161-7416 e Instagram no @agricultura.familiar.criciuma. O valor da compra mínima é de R$ 40 e as entregas acontecem nas quintas-feiras, das 16h às 20h.

Notícias Relacionadas

AO VIVO: Tribunal julga Moisés pelo caso dos respiradores

A sessão acontece por videoconferência, devido ao risco apresentado pela pandemia.

Homem com faca e garrafa quebrada rouba estabelecimento e ameaça vítima de morte em Capivari de Baixo

Assalto ocorreu por volta das 16h30 desta quinta-feira, dia 6, na área central da cidade.

Cartão postal: As cores da Ponte Anita Garibaldi

Durante o mês de maio a iluminação da ponte de Laguna terá um espetáculo aos olhos.

Julgamento decide futuro do governador Carlos Moisés em 2º impeachment

Julgadores decidirão se Carlos Moisés cometeu crime de responsabilidade na compra fraudulenta de 200 respiradores; afastamento depende de sete votos.