Geral

Bancos são multados em mais de R$ 200 mil por não ampliarem horário de atendimento em SC

A redução do horário foi permitida em março, quando outros serviços também fecharam.

Divulgação

Agências bancárias de Santa Catarina foram multadas em R$ 240 mil pelo Procon de SC por se recusarem a ampliar o horário de atendimento ao público. Segundo a instituição fiscalizadora, ao menos duas instituições financeiras se negaram a retomar o expediente mínimo de cinco horas em suas agências, cumprindo resolução do Banco Central, o que motivou a punição.

Em março, e devido a pandemia do coronavírus, o Banco Central havia permitido que as agências bancárias de todo o país alterassem o horário de funcionamento com o objetivo de manter o isolamento social.

Assim, as instituições financeiras ficaram livres da obrigação de anunciar as mudanças no horário de atendimento com antecedência mínima de trinta dias, além de serem dispensadas de cumprir o horário mínimo de expediente para o público de cinco horas diárias ininterruptas e do atendimento obrigatório no período de 12h às 15h.

As novas flexibilizações nas atividades de SC, somadas a formação de filas em frente às agências bancárias do estado motivou o Procon-SC a notificar os bancos pela volta no horário de funcionamento, entre 10h e 16h.

“Não faz sentido as agências reduzirem o horário de atendimento para não evitar aglomerações e deixar o consumidor em pé nas filas. Voltar ao horário normal diminuiria este tipo de situação” explicou o diretor do PROCON SC, Tiago Silva.

Com informações do site HC Notícias

Notícias Relacionadas

Procon autua posto de combustíveis por preço abusivo em Criciúma

Operação irá fiscalizar 40 estabelecimentos do município, três já foram autuados.

Tribunal de Justiça mantém multa superior a R$ 1 milhão aplicada por Procon em financeira de Criciúma

A empresa foi penalizada, na seara administrativa, por práticas contrárias às normas consumeristas

Reunião discute medidas para reduzir filas nas agências bancárias, em Içara

Levantamento mostra que 45% dos beneficiários do PIS/PASEP vão usar dinheiro extra para pagar dívidas em atraso

Para SPC Brasil, medida é importante para que o cidadão consiga sanar pendências e recuperar crédito no mercado. Cerca de14% dos brasileiros ainda não sabem se têm direito ao benefício