Geral

Bombeiros são acionados para retirar abelhas de casas em Lauro Müller

Três casos foram registrados na Cohab de Guatá

Um enxame de abelhas invadiu o interior de uma residência localizada na Rua 12 de Outubro, no conjunto habitacional da Cohab de Guatá, em Lauro Müller, provocando medo e pânico na família.

Os bombeiros militares de Orleans foram acionados, por volta das 17 horas desta terça-feira (2), para a retirada das abelhas, que estavam alojadas atrás de um guarda roupa fabricado sob medida e que estava encostado em uma janela de um quarto. Um apicultor foi chamado pelos bombeiros para resolver o problema.

Segundo a proprietária da casa, Terezinha Natália Madeira, as abelhas apareceram há cerca de 10 dias e de lá para cá várias tentativas de expulsar o enxame fracassaram. “Nós bem que tentamos expulsar as abelhas, mas mesmo com a ajuda de vizinhos não conseguimos. O jeito foi apelar para os bombeiros”, conta a dona de casa que nos últimos dias já não estava mais dormindo em casa com medo de ser atacada pelas abelhas, pois o cheiro de mel no interior da residência era muito forte.

O apicultor precisou remover cerca de um metro de parede externa da casa para chegar até as abelhas. Ele usou fumaça e uma caixa para retirar os insetos e em pouco tempo o problema foi resolvido. “O difícil aqui foi ter que quebrar a parede para chegar até onde as abelhas fizeram sua colmeia. Elas estavam em um vão de aproximadamente quinze centímetros entre a parede e o roupeiro, abaixo da travessa. Elas entravam e saiam pela veneziana da janela”, destacou o apicultor que fez a remoção da colmeia, Guido Warmeling, com 32 anos de profissão, da localidade de Taipa, em Orleans.

Três enormes favos de mel, medindo aproximadamente 30 centímetros cada um e cerca de três a quatro quilos de mel, foram retirados do fundo do roupeiro. O tamanho dos favos impressionou até mesmo o experiente apicultor Guido.

Após a retirada das abelhas, ele deixou a caixa no local para que algumas abelhas dispersas se agrupem. Ele deve voltar amanhã até a casa para a retirada da caixa. As abelhas, que segundo Guido são mestiças, resultado de uma cruza entre africanas e europeias, serão levadas para a sua propriedade na Taipa.

Conforme o Corpo de Bombeiros de Orleans mais duas chamadas foram registradas nesta terça-feira, para a retirada de abelhas em Lauro Müller. Porém após avaliação pelo apicultor Guido, ficou constatado que nos dois casos não há como fazer a remoção das colmeias. “A única forma de se livrar das abelhas é exterminando-as. Nas duas residências, as abelhas se alojaram no forro e os telhados são de amianto de três milímetros, não sendo possível chegar até os locais dos enxames”, explica o bombeiro Bittencourt que participou da operação junto com o cabo Bonelli.

Nesta quarta-feira (3) os bombeiros retornarão a Cohab do Guatá para eliminar as duas colmeias que ficaram para trás.

  • 87ac38d4c35de44bb592f4bc0c9d2033
  • p17n6k3ovp1tdjfim73v1arg8ig3
  • p17n6k3ovpf3d1oju1j9l1spq1rdr4
  • p17n6k3ovp2cu1bbrmqbvl810c5
  • p17n6k3ovpnq59p2n3hekk1mnh6
  • p17n6k3ovp1u7k189j1sojfb2141n7
  • p17n6k3ovp126d8qrrr8mqqf538
  • p17n6k3ovp15e91vpq1514pv4eqh9
  • p17n6k3ovp1qfn1bdbmre1b0a48a
  • p17n6k3ovplplr331cq1ssk6ttb
  • p17n6k3ovp9es75mpc41mo71f1kc
  • p17n6k3ovp1uus17rmebuqid12hpd
  • p17n6k3ovp1ej51eof2pm1nms156ae
  • p17n6k3ovpi31ccli5719grslqf
  • p17n6k3ovp3l311s7jpti17irdg
  • p17n6k3ovpihk124r14101vk41eslh