Geral

Casal erra na colheita e vai parar no hospital depois de comer “inhame” em SC

Moradores colheram raiz desconhecida pensando se tratar do alimento

Foto: Divulgação

Uma ocorrência curiosa mobilizou os bombeiros militares em Gaspar, que foram chamados depois de um casal passar mal ao comer “inhame”. A raiz, no entanto, era outra, o que causou o problema. O episódio ressalta a importância dos cuidados necessários ao colher algum alimento e sobre o que fazer em casos de intoxicação.

No começo da tarde de segunda-feira (1º), uma pessoa ligou para o 193 e contou que os familiares, um homem de 52 anos e uma mulher de 45 anos, colheram a raiz na rua e cozinharam ao pensar que se tratava de inhame. Depois da refeição, eles sentiram dormência na boca, dificuldade para respirar e apresentaram secreção pelas vias áreas. O socorro então foi acionado.

O casal aguardou os bombeiros consciente e foi levado ao hospital da cidade para avaliação. O estado de saúde de ambos não foi atualizado até a publicação deste texto. Também não foi possível descobrir que planta foi consumida por engano.

Cuidados necessários

O biólogo William Gebien comente que, pelo relato do casal de Gaspar, é possível que os dois tenham consumido alguma outra espécie da família Araceae, à qual pertence o inhame e o taiá, por exemplo. No entanto, há variedades que não são domesticadas e podem conter toxinas.

No caso das aráceas, existem os cristais de oxalato de cálcio que perfuram as mucosas e resultam no processo alérgico, de acordo com o biólogo. Cada grupo de espécies, porém, vai ter uma toxina mais presente e, por isso, os sintomas podem variar conforme a raiz consumida.

Ele explica que existe, também, uma espécie de “mandioca brava”, que é bem parecida com o aipim, mas não é a mesma planta. Nessa situação, a pessoa pode sentir um gosto amargo ao ingerir a raiz, que é extremamente tóxica para o ser humano.

— A orientação é sempre procurar atendimento médico imediatamente, não tentar nenhum remédio caseiro, nem água ou leite. Tentar levar a planta junto também, para que identifiquem o vegetal que ele ingeriu e quais são as possíveis toxinas para facilitar no tratamento — ressalta Gebien.

Com informações do NSC Total

Notícias Relacionadas

Comentarista de arbitragem diz que pênalti de Barreto foi “bem marcado”

Tigre perde para o Flamengo por 2 a 1, em Brasília

Dupla suspeita de lavar dinheiro milionário é presa em casa de shows em SC

Durante a operação, foram apreendidos veículos, celulares e documentos

Final de semana em SC terá sol e temperaturas próximas aos 30ºC

Embora os dias sejam quentes, as noites e madrugadas serão frias, com temperaturas variando entre 4°C e 10°C