Geral

Celesc divulga projetos selecionados para receber incentivo cultural e esportivo em 2020

Divulgação

O governador Carlos Moisés da Silva e o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, participaram de cerimônia virtual com representantes de instituições e entidades que tiveram projetos selecionados na 2ª Chamada Pública para Projetos Culturais e Esportivos da empresa, referentes ao exercício de 2020. Este ano, o investimento será de R$ 3 milhões em iniciativas em todas as regiões, sendo R$ 2,4 milhões para 37 projetos culturais e R$ 615 mil a 12 projetos esportivos. Confira a lista completa com os projetos aprovados no site: socioambiental.celesc.com.br.

O governador Carlos Moisés enfatizou a importância da valorização de políticas sociais e de editais de incentivos fiscais que refletem no desenvolvimento educacional, esportivo e cultural da população do estado. “Em um ano tão desafiador, é imprescindível continuamos com parcerias público-privadas, políticas públicas e sociais, como esta desenvolvida pela Celesc, que valorizam iniciativas de inclusão social que fomentam a educação por meio dos esportes, da cultura e da arte, setores tão afetados pela crise”, destacou.

O presidente da Celesc ressaltou os benefícios sociais pelos quais os projetos classificados atuam a favor de crianças e jovens de todas as regiões do estado, e destacou o número de projetos inscritos. “Em 2020, as inscrições superaram nossas expectativas e esse resultado é o reflexo de uma seleção que visa a democratização da escolha de iniciativas tão relevantes para a sociedade. Agradeço e parabenizo a todos os participantes pelo trabalho realizado, que representa um impacto imensurável na vida das comunidades”, afirmou.

A assessora de Responsabilidade Social da Celesc, Regina Schlickmann Luciano, falou da atuação de toda equipe multidisciplinar da companhia que trabalhou na construção da chamada pública. “A Celesc, conhecedora de sua relevância enquanto principal empresa de energia de Santa Catarina, entende a importância de seu papel e procurou atender a critérios previamente estabelecidos pela nossa comissão para a seleção dos projetos, de acordo com as diretrizes socioambientais da empresa. Somos cientes da transformação social que podemos promover”.

Cultura e esportes a favor da educação

O número de inscrições em 2020 superou as expectativas: 155 no total. Conheça agora alguns dos 49 projetos aprovados:

Na região do Alto Vale, um dos classificados é o projeto da Banda Municipal de Blumenau, uma das principais big bandas do país. Na estrada há 58 anos, o grupo desenvolverá um concerto didático para crianças de escolas públicas das comunidades de baixa renda da cidade. Presidente da Sociedade de Amigos da Banda de Blumenau, o maestro João Carlos Cunico afirmou que a oportunidade é a realização de um projeto idealizado há 20 anos para difundir a cultura musical brasileira às gerações futuras e, quem sabe, dar aos jovens a perspectiva de uma nova profissão.

Já em Jaraguá do Sul, no Norte do estado, a inclusão social e a formação de crianças e adolescentes que vivem em comunidades carentes são o propósito do projeto Mais Dança. A diretora executiva da SCAR – Sociedade de Cultura Artística, Edilma Lemanhê, disse que com os recursos do edital será possível receber mais jovens para aulas gratuitas de ballet clássico, jazz e danças urbanas. Hoje são atendidos cerca de 150 alunos.

O plano anual de atividades esportivas das Escolas Sociais do Grupo Marista foi outra iniciativa classificada, por estimular hábitos saudáveis por meio dos esportes no contraturno das aulas do ensino básico de crianças e adolescentes de baixa renda, sendo metade abaixo da linha da pobreza e 17% abaixo da extrema pobreza, que estudam na rede pública municipal. O executivo de projetos do Marista Escolas Sociais, Rafael Cardeal, contou que foram contempladas com os incentivos financeiros a Escola Social Lucia Mayvorne, em Florianópolis, a Marista Escola Social, em São José, o Colégio Irmão Walmir, de Criciúma, e o Colégio Marista de Caçador que, juntos, atendem 798 estudantes.

“Os recursos serão aplicados na aquisição de equipamentos esportivos e na melhoria da infraestrutura, para que os jovens atendidos tenham acesso a uma educação esportiva e pedagógica ainda melhor”, afirmou. Entre as atividades promovidas pelo projeto estão futebol, xadrez, tênis mesa, jiu jitsu, futsal e vôlei.

Também voltado aos pequenos, o Espetáculo Casa – Teatro para bebês, produzido pelo Grupo Porto Cênico, de Itajaí, foi selecionado e representa o litoral norte catarinense. Os recursos vão ajudar na produção de mais uma temporada da peça teatral que leva, gratuitamente, poesia e música a bebês de 0 a 3 anos e seus familiares. “Estamos muito felizes em poder seguir com esse trabalho em Itajaí, Canelinha e, de forma inédita, em Recife/PE. O Casa é um dos únicos espetáculos de Santa Catarina voltados para esse público. Por meio de uma pesquisa de cinco anos, criamos uma experiência artística que nasceu para aproximar bebês e crianças pequenas à linguagem teatral, que possibilita processos de educação e de relacionamento com seus pais e com o mundo”, comentou a produtora do espetáculo e da companhia, Karoline Gonçalves.

No sul do estado, o Bairro da Juventude, entidade que beneficia a comunidade de Criciúma e região há mais de 70 anos, foi classificado com dois projetos: o Esporte e Lazer, que oferece aulas de futebol de campo, futsal, vôlei, tênis de campo, tênis de mesa, xadrez e jiu-jitsu, além de transporte, alimentação e uniformes a crianças adolescentes; e o Geração de Talentos, que promove oficinas de Orquestra de Cordas e Metais, Violão e Canto Coral. “Nossa missão é potencializar talentos e dar amparo a mais de 400 crianças e adolescentes. Os recursos da Chamada Pública da Celesc vão nos permitir seguir com um trabalho de qualidade a jovens que vivem em situação de risco e vulnerabilidade social no município”, destacou o diretor de projetos da instituição, Nei de Souza.

O incentivo à cultura em municípios do interior de Santa Catarina por meio do cinema também não ficou de fora. Exercer a capacitação cultural de professores e gestores culturais, e estimular a construção de valores e saberes das crianças por meio da sétima arte é o objetivo do Circuito de Cinema Infantil, projeto que já percorreu mais de 100 cidades e é realizado há 10 anos no interior do estado. Voltado para crianças e seus familiares, além de professores e realizadores de programas culturais do interior, o projeto contará com a exibição itinerante de filmes catarinenses, nacionais e internacionais (todos com audiodescrição em libras) que, com o incentivo financeiro, poderão chegar, em 2021, à população que vive em municípios região serrana de Santa Catarina.

Para a idealizadora do projeto, Luiza Lins, “a iniciativa é uma semente de transformação cultural nas cidades do interior que, muitas vezes, não oferecem programação para as crianças e suas famílias. Além de atuar como um suporte para a formação cultural das crianças em indivíduos mais críticos e conscientes do mundo, o Circuito tem o propósito de capacitação, para que professores e gestores da cultura possam organizar sessões de cinema de forma autônoma para a população.”

Sobre a chamada pública

Em 2019, foi a primeira vez que a Celesc abriu chamada pública para a seleção de projetos. Com mais de 100 projetos inscritos, a empresa destinou cerca de R$ 2 milhões em incentivos fiscais a 59 propostas (42 culturais – entre concertos musicais, espetáculos de teatro e dança, eventos culturais de circulação –, e 17 esportivas de diversas modalidades, como rugby, futebol, surf, vôlei, futebol adaptado para cadeira de rodas e outros).

Já em 2020, foram aprovados 126 de projetos de incentivo à cultura e 29 de projetos de incentivo aos esportes. Estavam aptos a cadastrar seus projetos Pessoas Físicas e Jurídicas e todas as propostas foram submetidas à avaliação da Comissão de Aporte de Recursos da Celesc. Atendendo às leis para incentivos fiscais, Lei Federal 8.313/1991 – Lei de Incentivo à Cultura e Lei Federal 11.438/2006 – Lei de Incentivo ao Esporte -, o objetivo da Celesc é promover, transformação social oportunizando à população catarinense mais acesso à cultura, educação e saúde.

Por leis de incentivo fiscal, BRDE também apoia instituições

Como parte de sua política de responsabilidade socioambiental, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) se mobiliza todos os anos para recebimento, avaliação e deliberação de projetos que buscam apoio com base em leis de incentivo. Em 2020, foram aprovados mais de 100 projetos sociais, culturais e esportivos nos três estados do Sul, por meio do Fundo do Idoso, Fundo da Criança e do Adolescente, Lei de Incentivo ao Esporte, Lei de Incentivo à Cultura, Pronas/Saúde e PRONON/Oncologia. O valor a ser repassado às entidades e organizações sociais chega a aproximadamente R$ 4,1 milhões nos três estados do Sul.

Apenas em Santa Catarina, são 33 iniciativas contempladas num total de mais de R$ 1,1 milhão em recursos aprovados para investimento nos projetos sociais.

É o caso do Bairro da Juventude, de Criciúma, no Sul do Estado, instituição com 70 anos de história voltados ao atendimento de crianças, adolescentes e jovens em risco social. O local atende 1,5 mil alunos em período integral e de forma gratuita. “Existem três grandes vantagens para que os doadores colaborem com nossa Instituição através do Imposto de Renda. Primeiro, o recurso fica no estado; segundo, pode acompanhar o investimento, ver o que estamos realizando com as doações; e terceiro, está ajudando uma causa social. Esse fluxo de solidariedade certamente alcança quem mais precisa”, ressalta o diretor de Projetos do Bairro da Juventude, Anézio Luiz de Souza.

Nos últimos seis anos, o BRDE disponibilizou cerca de R$ 24 milhões para instituições dos três estados do Sul. Já são cerca de 600 projetos beneficiados que ajudaram milhares de crianças, idosos, artistas, portadores de necessidades especiais, pacientes com câncer e pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

“Um trabalho que orgulha nossa instituição e que tem impacto em todas as regiões de Santa Catarina, já que financia projetos dos mais variados nas áreas de cultura, esporte, lazer e assistência social. O suporte a um projeto importante para Santa Catarina representa uma maneira de solidificar os valores do BRDE dentro e fora da nossa instituição”, ressalta o diretor financeiro, Marcelo Haendchen Dutra.

Outro exemplo de como os recursos ajudam no desenvolvimento social das regiões vem de São Miguel do Oeste. O apoio do BRDE com o projeto de Imersão Literária possibilitou à Editora Mais que Palavras a produção, publicação e distribuição de pelos menos 3 mil livros ilustrados, impressos e digitais, destinados às crianças, famílias e educadores. “Para 2021, por conta da pandemia e as incertezas em relação às aulas presenciais, prevemos incluir novas atividades, como a criação de Filme Infantil. Tudo isso só é possível mediante as parcerias, como essa do BRDE”, destaca a editora e produtora Cultural, Terezinha Osmari.

“Acreditamos que como agente do desenvolvimento social, econômico e cultural da região, temos o dever de apoiar esses projetos. Se mais empresas aderirem a essa modalidade de doação, estaremos aumentando a nossa contribuição para o crescimento de toda a região Sul’, reforça o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito, Vladimir Arthur Fey.

Notícias Relacionadas

Idosa de 102 anos é vacinada contra o coronavírus no dia do aniversário, em Blumenau

Dona Antônia Previato Soto vive em uma casa de acolhimento na cidade

Safra de uva está com frutos de boa qualidade e colheita antecipada em SC

Os frutos estão com mais qualidade, visto que o clima seco contribuiu para a sanidade dos parreirais, e a grande quantidade de dias quentes proporcionou o amadurecimento prematuro dos cachos, antecipando a colheita em 10 a 15 dias em 2021

Prefeitura de Lauro Müller confirma 22ª morte por Covid-19

A vítima tratava-se de um homem de 87 anos

Corpo de homem desaparecido há quase um mês é encontrado em Laguna

O homem estava desaparecido desde o dia 2 de janeiro.