Entretenimento

Cinema ao Vivo exibe em Araranguá o clássico O Circo, com trilha sonora da Banda da Lapa

O público irá presenciar um clássico do cinema mudo datado de 1928 sendo trilhado por uma banda criada ainda no século 19. A entrada é gratuita.

Foto: Daniel Choma / Divulgação

O projeto Cinema ao Vivo estará em Araranguá no dia 28 de julho para uma apresentação da comédia clássica “O Circo”, de Charlie Chaplin, de 1928, com trilha sonora executada ao vivo pela Banda da Lapa de Florianópolis. A exibição está marcada para 28 de julho, às 19h30, no auditório Plínio W. Linhares, no Center Shopping Araranguá. A entrada é gratuita (com distribuição de ingressos uma hora antes da apresentação) e a classificação etária é livre.

O que o público de Araranguá vai presenciar é um clássico do cinema mudo datado de 1928 sendo trilhado por uma banda criada ainda no século 19. A centenária Banda da Lapa é a mais antiga em atividade em Florianópolis e entre as poucas remanescentes em Santa Catarina. Ou seja, o filme é mais novo do que o próprio grupo que agora tem a tarefa de compor e executar uma nova trilha.

A essência do Cinema ao Vivo é proporcionar ao público a oportunidade de assistir grandes espetáculos que remontam às origens do cinema mundial. Assim, resgata-se a tradição do antigo ‘cinema mudo’, em que, devido a limitações tecnológicas, o som era executado ao vivo a cada exibição, o que tornava cada sessão única. Agora com mais recursos é possível criar uma atmosfera, onde o passado e o presente ganham uma nova relevância em termos de experiência cinematográfica.

Sobre o projeto

O projeto Cinema ao Vivo já adaptou para as telas quatro filmes: “Nosferatu”, com Skrotes, e as comédias “O Circo” (Charlie Chaplin, 1928), com a Banda da Lapa, “A General” (de Buster Keaton, 1926), com a Orquestra de Choro do Campeche de Florianópolis, e “Tempos Modernos” (Charlie Chaplin, de 1936), com a trilha composta pela Orquestra Manancial da Alvorada. Sucesso incontestável de público, o Cinema ao Vivo levou mais de 2,5 mil pessoas nas mais de 20 sessões que promoveu e todas com lotação.

Sobre o filme O Circo

“O Circo” é um filme mudo americano de 1928, do gênero comédia, escrito, produzido, dirigido e protagonizado por Charlie Chaplin. No filme, o Vagabundo acaba indo parar em um circo enquanto fugia da polícia, que o confundira com um ladrão de carteiras. Ele sem querer acaba entrando no espetáculo e fazendo grande sucesso com o público, sendo logo contratado pelo dono, que irá se aproveitar dele. Ele ainda arranja tempo para se apaixonar pela acrobata, filha desse mesmo proprietário.

Sobre a Banda da Lapa

Fundada em 15 de agosto de 1896, a Sociedade Musical e Recreativa Lapa é uma das mais respeitadas entidades de Florianópolis, declarada de utilidade pública municipal pelo Decreto nº 3.767/92, de 21 de maio de 1992. A banda conta com cerca de 30 músicos, todos voluntários, que se apresentam em festas tradicionais na Ilha e em todo estado com seus dobrados, marchas religiosas, sambas, valsas, choros, rocks, baiões, funks, entre outros gêneros musicais. A centenária banda é dividida em flautas, clarinetes e saxofones; trompetes, trombones, bombardinos e tubas; instrumentos de percussão, do triangulo à bateria; guitarra, teclado e contrabaixo elétrico.

Desde o século 19, a Sociedade Musical e Recreativa Lapa mantém a tradição de ensinar gratuitamente crianças, jovens e adultos a arte da música, seja para enriquecer o cotidiano ou para oportunizar a geração de emprego e renda. A continuidade da Banda da Lapa se dá a partir das oficinas musicais, pois os alunos e futuros músicos serão mantenedores da instituição, ajudando na formação de quem, mais tarde, pode também ingressar na iniciativa.

Serviço

O quê: Cinema ao Vivo com o filme “O Circo” e trilha sonora executada ao vivo pela Banda da Lapa
Quando: 28 de julho de 2018, às 19h30.
Onde: Auditório Plínio W. Linhares, Center Shopping – Av. Sete de Setembro, 705 – Araranguá

Colaboração: Comunicação Fundação Catarinense de Cultura 

Notícias Relacionadas

I Feira do Livro é oficialmente aberta em Orleans

Comissão aprova nome de José Nei Ascari ao TCE

Equipamento inédito que identifica dor e produzido com apoio do Governo de SC é apresentado em Brasília

Através de um software e tecnologia avançada, o ReitzScan identifica, avalia e quantifica a dor em três estágios: suave, moderada ou severa.

Projetos para o Mar Grosso e acesso Norte são aguardados