Saúde

Projeto Ver retorna ao Sul do Estado com 990 cirurgias de catarata

Nesta quarta-feira (14), iniciam as cirurgias de catarata para 207 pacientes da Amrec, em Nova Veneza, e da Amurel, em Braço do Norte.

Foto: Bruna Tomé Borges

O Projeto Ver, mutirão de cirurgias oftalmológicas da Secretaria de Estado da Saúde (SES/SC) em parceria com hospitais filantrópicos, retorna ao Sul do Estado em novembro. Nesta quarta-feira (14), iniciam as cirurgias de catarata para 207 pacientes da Região Carbonífera – Amrec no Hospital São Marcos, de Nova Veneza. De quinta-feira (15), a domingo (18), serão atendidos 783 pacientes da Região de Laguna – Amurel também com cirurgias de catarata no Hospital Santa Teresinha, de Braço do Norte.

Até outubro, o Projeto Ver já devolveu a visão para 21,7 mil catarinenses. “A demanda por cirurgias eletivas oftalmológicas era a maior do Estado, sendo mais que o dobro da segunda colocada. Com o Projeto Ver, vamos reduzir a fila nesta especialidade em 90%. Pessoas que esperavam há anos para voltar a enxergar hoje estão realizando um sonho de vida”, ressalta o secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande.

Conforme a superintendente de Planejamento e Gestão do SUS da SES/SC, Grace Ella Berenhauser, o hospital parceiro oferta a capacidade instalada e se compromete em fornecer óculos de proteção e colírios para tratamento pós-cirúrgico, com as cirurgias custeadas pelos governos estadual e federal. Cada paciente passa por consulta pré-operatória e duas pós-operatórias, no dia seguinte e 30 dias após a cirurgia. As secretarias municipais de Saúde encaminham os pacientes conforme a fila inserida no Sistema de Regulação – Sisreg.

Em maio o hospital de Nova Veneza fez 450 cirurgias de catarata também dentro do Projeto Ver. A catarata é uma doença caracterizada pela perda de transparência do cristalino do olho, lente natural cuja função é propiciar o foco da visão em diferentes distâncias. A principal causa é o envelhecimento do cristalino, por isso que é muito frequente na população idosa. Porém, a doença também pode ser causada por fatores secundários, como diabetes, uso indiscriminado de colírios ou medicamentos com corticóides, pancadas, infecção ocular e tabagismo.

Colaboração: Bruna Tomé Borges

Notícias Relacionadas

Estado e município de Laguna indenizarão homem que ficou cego por demora em cirurgia​

Um homem de 60 anos perdeu sua visão e será indenizado em R$ 150 mil pelo Estado e pelo município de Laguna.

Momento preocupante nas regiões da Amrec e da Amurel por causa da forte chuva

Defesa Civil, Bombeiros e Polícia Militar atuam no socorro em várias cidades da região

Comissão aprova nome de José Nei Ascari ao TCE

Médica é condenada por morte de paciente após cirurgia em Orleans

O fato aconteceu em setembro de 2014, quando a vítima havia sido internada para a retirada de um cisto no ovário.