Geral

Corte do bolo marcou comemoração dos 133 anos de Criciúma

Centenas de criciumenses foram ao Parque das Nações Naspolini Cincinato, local onde aconteceu a festa de aniversário

Criciúma esteve em festa neste 6 de janeiro. Ontem a cidade comemorou o aniversário de 133 anos de colonização e a festa foi marcada com o corte do bolo. O Parque das Nações Cincinato Naspolini reuniu os criciumenses para catar os parabéns à maior cidade do Sul do Estado. A Fundação Cultural de Criciúma (FCC) coordenou o evento e aproveitou para lançar a Exposição Comunicação é História, na estação da mini ferrovia localizada no logradouro público. O evento contou ainda com a participação da banda do 28° Grupo de Artilharia e Campanha (GAC) e a cidade recebeu as bênçãos do padre Antônio Junior e do pastor Genésio da Silva.

Para o prefeito Itamar da Silva, Criciúma tem muito a comemorar nesses 133 anos. “Aquelas famílias que chegaram trabalharam muito para impulsionar o desenvolvimento desta cidade, que hoje é a maior entre as capitais Florianópolis e Porto Alegre”, recordou. Segundo ele, aproximadamente 50% das pessoas que vivem no município não nasceram em Criciúma, mas permaneceram por serem bem acolhidas.

A exposição, que teve a abertura às 18 horas, esteve movimentada. Para chegar até o local os visitantes percorriam o parque a bordo da locomotiva Terezinha. O turista Valter Della Flora, de Tupanciretã (localidade indígena do Rio Grande do Sul) está na cidade para visitar a irmã e aproveitou para conhecer o parque com a esposa. “Eu fiquei impressionado ao ver uma televisão telefunken. Eu assistia telenovelas e futebol em uma igual quando era mais novo”, contou entusiasmado.

O presidente da Fundação Cultural de Criciúma (FCC), Sérgio Zappelini, aproveitou para convidar todos os criciumenses para visitar a exposição até o dia 30 de abril. O acervo foi organizado pelo grupo de historiadores da Fundação e visa relatar um pouco da evolução da comunicação na cidade. Rádios, televisões, máquinas de escrever, telégrafos e telefones vão integrar a exposição.

O objetivo, segundo Zappelini, é atrair o público, principalmente as crianças, para conhecerem a evolução das formas de mídia no mundo e o período em que elas chegaram a Criciúma. “Teremos visitação mediada para grupos, principalmente escolas, a partir do início do ano letivo. Os equipamentos antigos nos auxiliam a relatar a evolução tecnológica para essa geração que talvez nunca ouviu falar sobre os materiais”, destacou.

Jussi Moraes/Decom Prefeitura de Criciúma

  • 0c9e8dba1fec59e70b47dd42fe1a12fc
  • p17gaivgpo1u0d1tcmfmq1d7h1pfv3
  • p17gaivgpo1turomh9fe15619qk4
  • p17gaivgpo1jcc1nah1rtgca01lfj5
  • p17gaivgpoqknlv21v0a133l16rp6