Segurança

Covid-19: 15 estabelecimentos em Criciúma são infracionados por desrespeito às normas sanitárias

Penalidade pode variar entre R$ 2.032,00 e R$ 24.386,4, dependendo da gravidade e reincidência do fato

Divulgação

A equipe da Vigilância Sanitária de Criciúma, com o apoio da Polícia Militar, penalizou 15 estabelecimentos durante as comemorações de Natal e Ano Novo por descumprimento de regras de combate à Covid-19. Os locais podem ser infracionados no valor entre R$ 2.032,00 e R$ 24.386,4, dependendo da gravidade e reincidência do fato.

“Esses espaços não estavam respeitando as normas contra o coronavírus, por isso foram penalizados”, explicou o coordenador do órgão de fiscalização, Samuel Bucco. Hoje, o município exige que os estabelecimentos controlem a entrada de pessoas para evitar aglomerações, promovam o distanciamento social, disponibilizem álcool em gel e recebam os clientes até às 23h.

Divulgação

Segundo o coordenador, as fiscalizações continuam ocorrendo de forma intensa na cidade, mesmo com o encerramento das celebrações de final de ano. “Estamos atuando todos os dias, inclusive nos finais de semana, para garantir o cumprimento das regras”, comentou.

Denúncias

As denúncias podem ser realizadas direto com a Vigilância Sanitária pelo WhatsApp (48) 991936259, pelo aplicativo PMSC Cidadão, disponível para download na App Store e no Google Play, ou pelo 190 com a Polícia Militar.

Notícias Relacionadas

Coronavírus em SC: Matriz de Risco aponta nove regiões em estado gravíssimo e sete em nível grave

A matriz classifica nove das 16 regiões de saúde catarinenses como em alerta gravíssimo (cor vermelha) para transmissão do novo coronavírus

Vacinação contra o coronavírus começa em Laguna

A primeira a receber a aplicação, foi a senhora Lealcina da Silva Lopes, de 98 anos

Capivari de Baixo: técnica em enfermagem é a primeira a ser vacinada

A aplicação ocorreu nesta quarta-feira (20) pela manhã

Renata Joaquim foi a primeira funcionária da saúde que recebeu a vacina contra Covid-19 em São Ludgero

Técnica em Enfermagem, Renata Joaquim, de 51 anos, foi a primeira funcionária pública de São Ludgero com atuação a mais de 27 anos na área da saúde