Segurança

Covid-19: 15 estabelecimentos em Criciúma são infracionados por desrespeito às normas sanitárias

Penalidade pode variar entre R$ 2.032,00 e R$ 24.386,4, dependendo da gravidade e reincidência do fato

Divulgação

A equipe da Vigilância Sanitária de Criciúma, com o apoio da Polícia Militar, penalizou 15 estabelecimentos durante as comemorações de Natal e Ano Novo por descumprimento de regras de combate à Covid-19. Os locais podem ser infracionados no valor entre R$ 2.032,00 e R$ 24.386,4, dependendo da gravidade e reincidência do fato.

“Esses espaços não estavam respeitando as normas contra o coronavírus, por isso foram penalizados”, explicou o coordenador do órgão de fiscalização, Samuel Bucco. Hoje, o município exige que os estabelecimentos controlem a entrada de pessoas para evitar aglomerações, promovam o distanciamento social, disponibilizem álcool em gel e recebam os clientes até às 23h.

Divulgação

Segundo o coordenador, as fiscalizações continuam ocorrendo de forma intensa na cidade, mesmo com o encerramento das celebrações de final de ano. “Estamos atuando todos os dias, inclusive nos finais de semana, para garantir o cumprimento das regras”, comentou.

Denúncias

As denúncias podem ser realizadas direto com a Vigilância Sanitária pelo WhatsApp (48) 991936259, pelo aplicativo PMSC Cidadão, disponível para download na App Store e no Google Play, ou pelo 190 com a Polícia Militar.

Notícias Relacionadas

Mulher perde controle do veículo e bate em poste no distrito do Guatá, em Lauro Müller; VEJA AS FOTOS

Motorista, de 24 anos, teve ferimentos leves e foi conduzida à Fundação Hospitalar Henrique Lage

Dois pedreiros são soterrados parcialmente em SC durante acidente de trabalho

Um deles foi atingido por um pedaço de concreto e foi encaminhado ao Hospital Regional do Oeste. O outro recusou atendimento hospitalar.

Brasil vai ao pódio em primeiro torneio após Jogos de Tóquio

Guilherme Schmidt chega à final e leva prata no Grand Prix de Zagreb

Microempreendedores têm menos de uma semana para regularizar dívidas

Prazo vai até 30 de setembro