Saúde

Covid-19: Treviso começa a vacinar pessoas com comorbidades

A Secretaria de Saúde realizou um drive-thru na manhã de ontem, dia 6, e imunizou 36 pessoas

Divulgação

Treviso deu início à vacinação contra a Covid-19 para o grupo prioritário com comorbidades, deficiências permanentes, gestantes e puérperas. A Secretaria de Saúde realizou um drive-thru na manhã de ontem, dia 6, e imunizou 36 pessoas.

Conforme a secretária de Saúde, Luciane Possoli, o município recebeu na terça-feira, dia 4, 100 doses do imunizante AstraZeneca/FioCruz para esta fase da campanha.

Como será essa fase da vacinação

De acordo com as deliberações da Comissão Intergestores Bibartite do Estado de Santa Catarina, na fase 1 serão vacinados, conforme a quantitativo de doses a ser disponibilizado, os grupos prioritários abaixo:

· Pessoas com Síndrome de Down (18 a 59 anos);

· Gestantes e puérperas (acima de 18 anos com comorbidades);

· Transplantados (18 a 59 anos);

· Pessoas com deficiência permanente cadastradas no programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre 18 e 59 anos;

· Pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição (18 a 59 anos);

· Pessoas com comorbidades e deficiência permanente de 55 a 59 anos.

Relação das comorbidades:

· Pneumopatias crônicas graves;

· Hipertensão arterial resistente;

· Hipertensão arterial estágio 3;

· Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidades;

· Insuficiência cardíaca;

· Cardiopatia hipertensiva;

· Síndrome coronarianas;

· Valvopatias;

· Miocardites e Pericardiopatias;

· Doença da aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas;

· Arritmias cardíacas;

· Cardiopatias congênitas no adulto;

· Prótese valvares e dispositivos cardíacos implantados;

· Doença cerebrovascular;

· Doença renal crônica;

· Imunossuprimidos;

· Hemoglobinopatias graves;

· Obesidade mórbida;

· Cirrose hepática;

· Diabetes mellitus;

· Portadores do vírus HIV.

De acordo com a secretária de Saúde, com exceção dos pacientes com diabetes mellitus, as demais pessoas precisam apresentar um atestado médico para receber a vacina. A população pode procurar as Unidades de Saúde para uma avaliação.

“Os pacientes com o vírus HIV que realizam acompanhamento no município serão avisados pela Vigilância Epidemiológica sobre a disponibilidade da vacina”, explicou Luciane.

A secretária ainda frisa que para receber a vacina a população deve aguardar as orientações dos Agentes Comunitários de Saúde.

Notícias Relacionadas

Fapesc investe R$ 1 milhão em novos estudos para produção de vinho e uva em SC

A produção de uvas e vinho abrange ainda uma área de cultivo de cerca de 6 mil hectares em diferentes regiões. Só de vinícolas, são 95 empresas registradas no Estado

Profissionais da Assistência Social passam por minicurso sobre abordagem antirracista em Criciúma

Palestra foi ministrada por três profissionais da área da Educação e Direito e ocorreu no Salão Ouro Negro

24 horas: Um sonho de 30 anos realizado em Cocal do Sul

A inauguração será neste domingo (26), às 18h, no dia do aniversário de 30 anos de Cocal do Sul

Edital Cultura Criciúma contemplará 30 projetos com R$ 133 mil

Inscrições podem ser feitas até o dia 22 de outubro. Objetivo é incentivar atividades culturais na cidade