Geral

Decreto centraliza aposentadorias e pensões do Poder Executivo Federal

Concessão e manutenção de benefício fica com INSS e pasta da Economia.

Divulgação

O governo federal publicou, nesta segunda-feira (8), o Decreto nº 10.620, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, que unifica os processos de aposentadorias de pensões do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) da União.

Dentre as determinações, a norma prevê a centralização dos serviços de aposentados e pensionistas. O Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) passará a ser responsável pela concessão e manutenção de aposentadorias e pensões de autarquias e fundações públicas do Poder Executivo. Antes, cada entidade da administração indireta era responsável por esses serviços.

No âmbito da administração pública federal direta, que envolve os ministérios, a centralização dos processos de concessão de aposentadorias e pensões continua sendo realizada pela Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, do Ministério da Economia. A SGP é o órgão central do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal (Sipec). Segundo a pasta, até dezembro de 2020, cerca de 40% da administração direta já havia sido centralizada, o que corresponde a aproximadamente 170 mil pessoas.

Os novos procedimentos não se aplicam aos Poderes Legislativo e Judiciário e aos órgãos constitucionalmente autônomos.

Com informações do site Agência Brasil

Notícias Relacionadas

Reforma da Previdência: veja os principais pontos

Proposta foi levada pelo governo federal ao Congresso Nacional.

O modelo de aposentadoria proposto pelo presidente eleito Jair Bolsonaro

As advogadas Luciane Goulart e Paula Galatto de Fáveri detalham as principais mudanças e o que pode impactar na vida do trabalhador.

Por unanimidade, Alesc acaba com aposentadoria dos ex-governadores

A PEC 3/2011 terá sua Redação Final votada na sessão desta quarta-feira (20) para depois ser promulgada pelo presidente da Assembleia.

Vereadores e trabalhadores rurais de Orleans se manifestam contra a reforma da Previdência

Classe defende que as mudanças fazem com que trabalhadores percam direitos já conquistados.