Geral

Definida empresa responsável pelas obras de contenção na Serra do Rio do Rastro

A companhia será responsável por executar tanto o projeto quanto a obra, com valor orçado em R$ 19.048.771,00.

Osmar Teixeira/VC no TG

A empresa Teixeira Duarte foi a vencedora do processo licitatório para a execução das obras preventivas na Serra do Rio do Rastro (SC-390). A abertura das propostas de preço e documentação da licitação ocorreu nesta quarta-feira, 30, na sede da Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade (SIE), em Florianópolis. A companhia será responsável por executar tanto o projeto quanto a obra, com valor orçado em R$ 19.048.771,00.

“Após um grande esforço para a elaboração de uma documentação bastante técnica e detalhada, estamos chegando ao fim do processo administrativo que nos permitirá dar início a execução dos serviços”, exaltou o secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Carlos Hassler.

O plano de trabalho prevê a intervenção ao longo da rodovia SC-390, contemplando 25 pontos em taludes, podendo variar o material, dependendo do local. Além dessas ações estruturantes, será feita a retirada de blocos rochosos e outros materiais que estão soltos e depositados sobre os taludes.

Os 25 pontos de intervenção estão dentro do perímetro territorial dos municípios de Orleans, Lauro Müller e Bom Jardim da Serra. Após o resultado, o processo seguirá os trâmites administrativos para homologação, a assinatura do contrato e ordem de serviço.

Com informações do site do Governo do Estado

Notícias Relacionadas

Grupo RB celebra sucesso e ampliações após cinco anos de fundação da primeira loja

Ex-secretário de Administração de Orleans e empresa tem bens bloqueados

Segundo o Ministério Público, Eduardo Bertoncini era responsável pela pasta na gestão do ex-prefeito Marco Antônio Bertoncini Cascaes

Senador garante R$ 40 milhões e obras da Serra da Rocinha não sofrem ameaça

Tribunal de Justiça autoriza prefeitura a retomar obras da passarela em frente à Unisul, em Tubarão

Iniciada em fevereiro, a construção da passarela precisou ser interrompida por alguns dias ainda no primeiro semestre por conta da ação judicial de uma empresa inabilitada no processo de licitação.