Geral

Detento de Tubarão é condenado a 18 anos por morte de colega de cela

A sessão foi presidida pelo juiz substituto Lucas Antônio Mafra Fornerolli.

Prisão

Divulgação

Um detento, que cumpre pena no Presídio Masculino de Tubarão, foi condenado hoje, 12/16, em sessão do Tribunal do Júri da comarca de Tubarão, a 18 anos de reclusão pelo assassinato de um colega de cela. A sessão foi presidida pelo juiz substituto Lucas Antônio Mafra Fornerolli.

O crime aconteceu em maio de 2017, quando o preso asfixiou a vítima com uma corda, que era utilizada na descarga do vaso sanitário da cela. Além disso, segundo os autos, ele teria fornecido para a vítima e demais colegas de cela medicamentos para dormir. Isto fez com que nenhum deles acordasse durante a execução do crime, bem como que a vítima estivesse dormindo no momento do ataque. O laudo pericial apontou a causa da morte como asfixia por estrangulamento e também presença de amitripilina, nortriptilina, setrelina, diazepam e levomepromazina no corpo.Segundo os autos, o acusado teria praticado outro em circunstâncias similares, menos de três meses antes deste novo delito, também mediante estrangulamento.

O preso, que confessou o crime e já cumpria pena por homicídio, foi condenado, desta vez, por homicídio duplamente qualificado com as qualificadoras do emprego da asfixia e recurso que dificultou a defesa da vítima. O Conselho de Sentença reconheceu, contudo, que o crime, motivado por desentendimentos anteriores com a vítima, foi praticado mediante violenta emoção.Cabe recurso da decisão ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina.​​​​

Colaboração: Comunicação PJSC

Notícias Relacionadas

Sentença de pronúncia levará para júri casal acusado por homicídio cometido com espada em Orleans

Segundo os autos, os crimes aconteceram em março deste ano, no bairro Rio das Furnas

Polícia Civil cumpre mandados contra suspeitos de latrocínio em Sombrio

Corpo é encontrado carbonizado dentro de carro em Criciúma

Comarca de Criciúma, em seu 1º júri do ano, analisa homicídio ocorrido em bar

Segundo a denúncia, o crime ocorreu em março de 2016, próximo a um bar na cidade de Nova Veneza.