Geral

Detento de Tubarão é condenado a 18 anos por morte de colega de cela

A sessão foi presidida pelo juiz substituto Lucas Antônio Mafra Fornerolli.

Prisão

Divulgação

Um detento, que cumpre pena no Presídio Masculino de Tubarão, foi condenado hoje, 12/16, em sessão do Tribunal do Júri da comarca de Tubarão, a 18 anos de reclusão pelo assassinato de um colega de cela. A sessão foi presidida pelo juiz substituto Lucas Antônio Mafra Fornerolli.

O crime aconteceu em maio de 2017, quando o preso asfixiou a vítima com uma corda, que era utilizada na descarga do vaso sanitário da cela. Além disso, segundo os autos, ele teria fornecido para a vítima e demais colegas de cela medicamentos para dormir. Isto fez com que nenhum deles acordasse durante a execução do crime, bem como que a vítima estivesse dormindo no momento do ataque. O laudo pericial apontou a causa da morte como asfixia por estrangulamento e também presença de amitripilina, nortriptilina, setrelina, diazepam e levomepromazina no corpo.Segundo os autos, o acusado teria praticado outro em circunstâncias similares, menos de três meses antes deste novo delito, também mediante estrangulamento.

O preso, que confessou o crime e já cumpria pena por homicídio, foi condenado, desta vez, por homicídio duplamente qualificado com as qualificadoras do emprego da asfixia e recurso que dificultou a defesa da vítima. O Conselho de Sentença reconheceu, contudo, que o crime, motivado por desentendimentos anteriores com a vítima, foi praticado mediante violenta emoção.Cabe recurso da decisão ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina.​​​​

Colaboração: Comunicação PJSC

Notícias Relacionadas

Polícia Civil cumpre mandados contra suspeitos de latrocínio em Sombrio

Corpo é encontrado carbonizado dentro de carro em Criciúma

Júri em Turvo condena mandante e executores de homicídio motivado por disputa de terras

O crime ocorreu em 5 de agosto de 2014, na Serra da Rocinha, no município de Timbé do Sul.

Modelo foi assassinada pelo namorado, conclui Polícia Civil de Imbituba