Saúde

Em comparação com 2021, mortes por Covid-19 reduziram 70% em janeiro

Percentual corresponde ao município de Criciúma, que registrou 13 óbitos em virtude da doença no mês passado

Divulgação

O coronavírus trouxe recordes a Santa Catarina no primeiro mês do ano. A explosão de casos ativos em janeiro, com o pico de 80.251 mil pacientes em tratamento no Estado, acendeu o alerta para a nova onda causada pela Covid-19. Em Criciúma, os números registrados ao longo do período também foram altos, mas, por outro lado, as mortes reduziram 70% em comparação com o ano anterior.

Em janeiro de 2021, 44 pacientes morreram devido às complicações do coronavírus em Criciúma. No mesmo período, neste ano, 13 pessoas não resistiram à doença no município. A queda de letalidade ocorre devido à característica da nova variante em Santa Catarina: a Ômicron. A cepa é altamente transmissível, porém, atinge com menor gravidade as pessoas e, consequentemente, reduz os óbitos.

Outra aliada à redução das mortes é a vacinação. Desde a primeira dose aplicada no Estado, os índices de imunizados crescem a cada dia. Em Criciúma, até 31 de janeiro, 182.216 pessoas já haviam recebido a D1, 160.895 a D2 e 51.417, a de reforço. No mês passado, a imunização de crianças com idades entre cinco e 11 anos foi liberada pelo Ministério da Saúde. No município, 1.816 já foram aos postos receber o imunizante.

“A vacinação é o grande fator de redução do número de internações proporcional, em termos de gravidade. Tem vários pacientes que estão indo para a UTI [Unidade de Terapia Intensiva], porque não fizeram nenhuma dose da vacina. É um conceito errado de que a imunização pode causar problemas. e não, ela é que está reduzindo a gravidade da doença de uma maneira geral. A prevenção sempre vai ser o melhor caminho”, alerta o pneumologista Fábio Souza.

Embora as mortes tenham diminuído em janeiro em comparação com 2021, os casos ativos apresentaram um aumento de 140% em Criciúma. No ano passado, no dia 6, 762 pacientes estavam em tratamento devido ao coronavírus no município – o maior número no período. Em 2022, 1.834 pessoas haviam testado positivo para a doença, na data com o quantitativo mais alto.

Atualmente, há 1.321 pacientes com teste positivo para coronavírus no município. No total, Criciúma atingiu 680 mortes pela doença. Em comparação com o boletim de segunda-feira, o número de internados caiu de 71 para 69. Atualmente, 20 pacientes estão hospitalizados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 49 em leitos clínicos.

“Os cuidados têm que ser redobrados em relação ao grau de contaminação. A gente sabe que Ômicron tem uma transmissão dez vezes maior, em média. Isso acaba repercutindo em um número de internações. Está acontecendo um reflexo em todo o Estado, não sendo diferente aqui em Criciúma. Demorou um pouquinho para aumentar esses números, mas pelo não uso de máscaras e aglomerações, acabou, infelizmente, acontecendo”, enfatiza o pneumologista.

Fevereiro inicia com números altos em SC

O mês de fevereiro já iniciou com números altos no Estado. Conforme o último boletim emitido pela Secretaria de Saúde, 50 novos óbitos por coronavírus foram registrados em Santa Catarina. No total, a doença causou 20.629 mortes. A taxa de letalidade atual é de 1,42%. O total de confirmados cresceu 12.512, enquanto 11.995 pessoas se recuperaram. Os casos ativos registraram uma alta de 467.

Novos leitos UTI para o Estado

Com alta ocupação de leitos UTI Adulto em Santa Catarina, o Estado terá a inclusão de 230 para auxiliar na demanda no Sistema Único de Saúde (SUS). Conforme o último boletim emitido pelo Governo, a ocupação da rede pública ultrapassa 85% para tratamentos gerais. O prazo para ativação é de 90 dias.

A região Sul deve ser contemplada com 40 leitos, sendo divididos entre as unidades: Hospital Regional Deputado Affonso Guizzo, em Araranguá (5); Fundação Social Hospitalar, em Içara (10); Hospital Dom Joaquim Imas, em Sombrio (10); Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão: (5); Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus Passos, em Laguna (10).

IFSC exigirá comprovante de vacinação

Estudantes do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) terão que apresentar o comprovante de vacinação contra Covid-19 para entrada e permanência nos campus. A decisão foi tomada pelo Conselho Superior da instituição, em reunião ontem, dia 31. Apesar de aprovada, a medida ainda não está em vigor. As atividades, inicialmente, não devem ser retomadas presencialmente em sua totalidade.

Com informações do TNSul

Notícias Relacionadas

Embarcação vira com quatro pescadores no Balneário Rincão

Ocorrência foi atendida pelo Serviço Aeromédico (Saer)

Covid-19: chega ao fim estado de emergência em saúde pública no Brasil

Segundo o governo, nenhuma política pública de saúde será interrompida

Homem de 57 anos é preso após tentar beijar menina de 11 anos à força, em Orleans

Fato ocorreu na Rua Aristiliano Ramos, na tarde deste sábado, dia 21.

Número de transplantes de rim caiu nos últimos dois anos

Sociedade Brasileira de Urologia lançou campanha para estimular doação