Geral

Empresa responsável pela revitalização de escadaria de Orleans pede prazo de mais 30 dias

Previsão é que obra seja finalizada apenas no fim do mês de abril. Interdição no local foi anunciada pela Prefeitura de Orleans em 30 de novembro de 2020.

Divulgação

A empresa RS Engenharia e Construções pediu mais 30 dias para concluir a escadaria que une as ruas Aristiliano Ramos e Barão do Rio Branco, na área central de Orleans. Em 30 de novembro de 2020, a Administração Municipal anunciou a interdição por um período de 90 dias. Contudo, o prazo já encerrou, a obra não foi concluída e a passagem no local permanece obstruída. O fato tem provocado reclamações por parte dos munícipes.

O prefeito Jorge Koch explica que o atraso se deve por uma série de fatores. “A obra era para ter sido iniciada na metade de dezembro, mas, como no dia 20 teve recesso de todas as Prefeituras, a empresa optou por começar no início de janeiro. Mas aí teve problema por conta da energia e também para levar água para o local. Tudo isso atrasou. Aí começaram a obra, mas veio chuva, aumento dos casos do coronavírus. A empresa de Tubarão vinha todos os dias para Orleans e, às vezes, atrasava. Em fevereiro, teve ponto facultativo e feriado. Eles nos encaminharam um ofício alegando a dificuldade na contratação de pessoal. A empresa tinha 90 dias para concluir, mas tem o direito de pedir mais 30 dias e nós concedemos”, informou.

Sendo assim, o prazo para finalizá-la ficará para o fim de abril. “Mas nós temos cobrado, nossos engenheiros também. A gente tem brigado, reclamado, mas a obra continua em atraso. Até o fim deste mês, tenho certeza que ficará concluída para ser entregue para a comunidade. A gente lamenta profundamente o atraso. Ela prejudica alguns comerciantes, mas nada que não seja necessário quebrar para fazer uma boa gemada”, acrescentou. Segundo a Administração Municipal, a revitalização no local tem como intuito aumentar a segurança dos pedestres com a instalação de guarda-corpos e corrimãos, piso antiderrapante e adequação dos degraus das escadas. A obra está orçada no valor de R$ 88.863,24.

Empresa é prejudicada

O empresário Julio César Bratti Bussolo, da loja Conecta Soluções, que teve a fachada obstruída em virtude dos tapumes, externou sua indignação através de publicação em sua rede social, no dia 9 de março. “Essa tal reforma da escadaria em frente à nossa loja já está passando dos limites. A saber, desde o fim de dezembro, fecharam com essas placas metálicas o acesso principal à nossa loja e a loja ao lado, impossibilitando de fazermos vendas melhores de fim de ano. Nos horários estendidos de Natal, não entrava ninguém na loja. Abríamos por abrir mesmo. Mesmo em época de pandemia, as vendas de Natal sempre aparecem”, lamentou.

“Sem contar o bloqueio do acesso para várias pessoas que utilizam desta escadaria, que estão dando uma volta maior para chegar aos seus destinos. Falam da campanha Compre de Orleans, mas estamos ‘escondidos’ há três meses. E também por que não dar preferência para as empresas de Orleans para fazer este tipo de reforma? Temos quantas empreiteiras qualificadas para fazer essa reforma? Estariam já na cidade e poderiam ampliar o horário de trabalho diário e diminuir o tempo de reforma, mas aí fazem licitação e quem ganha é uma empresa de Balneário Camboriú. Além de levar o dinheiro que poderia ficar aqui na cidade, os caras aparecem lá uma vez ou outra na semana para trabalhar. Semana passada vieram só na sexta, sem contar essa época que foi escolhido errada, pois chove todo dia. Enfim, sabe-se lá quando essa obra ‘faraônica’ irá terminar”, concluiu.

  • obra2
  • obra1

Notícias Relacionadas

Governadora determina força máxima para buscar e reaver os R$ 33 milhões aos cofres públicos do Estado

Daniela pediu força máxima no caso e acionou a Procuradoria-Geral do Estado para avançar nas buscas pelos valores

Após invadir casa em Chapecó, homem dorme antes de fugir com tênis e botijão furtados

Suspeito estava com uma atadura no braço direito e carregava uma mochila. Um boletim de ocorrências foi feito na segunda-feira e a polícia investiga do caso

HSJosé: setor de higienização é fundamental para entregar um serviço de excelência à comunidade

Na instituição hospitalar de Criciúma, 120 profissionais trabalham 24 horas por dia para dar atenção e levar saúde a quem precisa

Bares, restaurantes e esportes: o que pode mudar nas restrições contra a Covid-19 em SC

Decreto atual foi prorrogado até o dia 26, mas portarias com mudanças em alguns setores estão sendo debatidas