Geral

Esposa de Mauro Cid vai prestar depoimento à PF sobre fraude em cartão de vacina nesta sexta

Tenente-coronel do Exército, Mauro Cid, prestou depoimento nesta quinta (18) à PF sobre o caso, mas ficou em silêncio

Foto: Alan Santos/PR/Divulgação/ND

A PF (Polícia Federal vai ouvir nesta sexta-feira (19), às 14h30, Gabriela Cid, a esposa de Mauro Cid, tenente-coronel do Exército e ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro (PL). Cid está preso por suspeita de inserção de dados falsos no cartão de vacinação do ex-presidente contra a Covid-19.

Quer receber as principais notícias da região? Clique aqui e entre no nosso grupo de WhatsApp e fique atualizado de forma rápida e confiável 

O ex-auxiliar de Bolsonaro prestou depoimento à PF nesta quinta (18), mas permaneceu em silêncio e não respondeu nenhuma pergunta feita pelos investigadores. Mauro Cid ficou menos de uma hora na sede da corporação, em Brasília. As informações são do R7.

Segundo fontes ligadas ao tenente-coronel, Cid ficou em silêncio porque a perícia feita em seu celular apreendido tinha sido concluída na quarta (17), o que o deixou sem acesso às informações encontradas. Os peritos produziram um laudo em que relatam a forma como a extração de dados foi realizada e encaminharam uma mídia aos agentes federais.

Cid está preso desde o dia 3 de maio, após determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. A suspeita é de que os registros de vacinação de Bolsonaro, Cid e da filha mais nova do ex-presidente, Laura Bolsonaro, tenham sido forjados.

Eles teriam inserido informações falsas no sistema do Ministério da Saúde entre novembro de 2021 e dezembro de 2022 para conseguir o certificado de vacinação e viajar para os Estados Unidos.

Durante depoimento na terça (16), Bolsonaro afirmou à PF não saber nenhuma informação acerca do suposto esquema que fraudou dados de vacinação e que, se Cid tiver arquitetado o plano, foi à sua revelia, sem nenhum conhecimento nem orientação de sua parte. Questionado durante visita ao Senado na quinta (18), o ex-presidente disse apenas que “cada um siga a sua vida”.

Estados Unidos

Como mostrou o R7, Cid viajou para os Estados Unidos com a família com dados de vacinação contra a Covid-19 supostamente fraudados, segundo investigação da PF. A viagem foi em dezembro do ano passado. Eles voltaram ao Brasil em janeiro. A comprovação de vacinação com ao menos duas doses contra a Covid-19 foi necessária para entrar no país comandado por Joe Biden até 11 de maio.

Cid, a esposa, e as três filhas ficaram em Miami entre 21 de dezembro de 2022 e 20 de janeiro último. Em fevereiro de 2023, a família viajou para Bruxelas, na Bélgica, com conexão em Madri, na Espanha. Eles retornaram ao Brasil em 23 de fevereiro, pelo aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Naquele período, os dois países já não exigiam comprovante de imunização.

Se mantenha informado em tempo real! Clique aqui e siga o Sul in Foco no Instagram. Informações e notícias sobre a região na palma da sua mão!

A manifestação da Procuradoria-Geral da República enviada ao STF com base na investigação da PF diz que “Mauro Cesar Barbosa Cid e Gabriela Santiago Ribeiro Cid fizeram uso de certificado de vacinação falso nas viagens realizadas em dezembro de 2022, em janeiro de 2023 e fevereiro de 2023”.

Com informações do ND+

Notícias Relacionadas

Decreto suspende pedidos de gratificação em Criciúma e indícios de fraudes são investigados

Polícia Federal cumpre mandados em Orleans, Urussanga, Siderópolis, Tubarão e Criciúma

Em apenas uma das obras financiadas, o recurso desviado, conforme a apuração, é de aproximadamente R$ 300 mil.

Três são presos suspeitos de fraude em posto de combustível

Conforme a Polícia Civil, clientes estavam recebendo de 12% a 15% a menos do que o indicado na bomba.

Polícia Federal sediada em Criciúma combate fraude no saque de precatórios

Foram detectados prejuízos de quase dois milhões de reais aos cofres públicos em ações criminosas em vários locais do Brasil.