Serra

Falta de iluminação e rachaduras evidenciam as más condições da SC-390

A falta de manutenção e infraestrutura marcam diversos trechos de uma das principais rodovias de acesso até a Serra Catarinense. Postes sem luz, blocos de concreto dos acostamentos quebrados e diversas rachaduras no pavimento podem ser encontrados em toda extensão da SC-390, a Serra do Rio do Rastro.

Com a chegada do frio e a procura por cidades e pontos turísticos serranos, o fluxo de automóveis aumenta e as condições da estrada se tornam ainda mais importantes para garantir a segurança dos motoristas. Além de problemas mais evidentes, pequenos detalhes também podem ser identificados.

Desníveis no pavimento, canaletas mal limpas e postes e placas de sinalizações envergados e em más condições também são vistos no trajeto, indicando que a estrada não vem recebendo a manutenção necessária. A falta de manutenção é evidenciada por outras pessoas que convivem mais próximos do local. Conforme Eriberto Souza, gerente de um posto de combustível próximo ao início da rodovia, em Lauro Müller, os motoristas e turistas não reclamam das atuais condições da estrada. Mas garante que a população que mora próxima desse acesso percebe os problemas que nele existem.

“Como nós somos daqui, já se tornou algo normal, estamos acostumados. Os turistas não reclamam de nada, mas nós sabemos que existem problemas”, afirma. Souza ainda afirma que a falta de iluminação acontece há pelo menos seis meses. “As rachaduras nos blocos de concreto influenciam nas fiações”, acredita. Os oficiais da Polícia Rodoviária Estadual, que atuam no posto do Mirante da Serra do Rio do Rastro também reconhecem as condições. “São muitas rachaduras e tem desníveis nas placas de concreto”, diz o cabo Maicon Domingo Ceron.

Orçamento e vistoria

Responsável pela manutenção da SC-390, o Departamento Estadual de Infraestrutura – Deinfra garante já estar tomando as devidas providências para melhorar as condições do local. De acordo com o superintendente da região Sul, Lourival Pizzolo, um orçamento para repor a energia no trecho afetado está sendo viabilizado junto de uma empresa da área elétrica. O pedido de valores foi feito recentemente, na semana passada. As lâmpadas que deverão ser substituídas são caras. No trajeto, aproximadamente 70 delas serão substituídas.

“Pedimos para que a Polícia Rodoviária nos repassasse o trecho que está afetado. Parece que se trata de um circuito que quando dá problema apaga dez, 15 de uma só vez. Para evitar o processo licitatório, estamos tentando fazer uma carta convite. Com licitações demoraria ainda mais tempo e temos um valor limite para aplicar em licitação”, explica o superintendente. Sobre o restante dos problemas evidenciados na rodovia, Pizzolo afirma que o Deinfra está sempre atento para dar o suporte necessário.

“As rachaduras há muito tempo existem, mas onde abre buraco a gente coloca asfalto. Não temos pedidos por restauração nessa SC”, enfatiza. Mesmo parecendo necessitar de mais serviços no acesso, o superintendente afirma que as manutenções têm sido feitas no local periodicamente.

“Temos duas equipes, uma em Orleans e outra na Serra que há 15 dias fizeram a limpeza das canaletas e roçaram a serra”, alega. No entanto, Pizzolo parece não ter o conhecimento sobre a atual situação, principalmente das rachaduras encontradas na estrada, algumas formando até mesmo buracos. Frente ao relato da reportagem, o superintendente se comprometeu a mandar funcionários do Deinfra ainda nesta semana para vistoriar a rodovia. “Rachaduras não tem como concertar, mas mandarei segunda-feira (hoje) uma equipe dar uma revisada”.

Com informações do site Clicatribuna

  • 6b8f502552e916bc84524d2c8e992ab2
  • af960d592e9417c773acf15ee683285e
  • 4e06e7134f9d6c1a7471d271eda6ea17
  • b674799b60bbcca2407ee9996586588d
  • 177103c5fe43693e2470a7f05eb0b40f