Geral

Família dá último adeus a terceiro soldado vítima de acidente em Blumenau: “Menino carinhoso”

Alexandre chegou a se mudar para Blumenau em busca do sonho de ser militar

Divulgação

Alexandre da Silva Reginaldo, 19 anos, era um desses garotos que sonham em entrar para o Exército Brasileiro. Vibrou muito quando viu o nome dele entre os selecionados. Para ir atrás do que tanto queria, a carreira militar, deixou a casa da família em Porto Belo, no Litoral Norte, e foi morar em Blumenau.

Nesta quinta-feira (17), o jovem foi enterrado na cidade. Ele morreu horas depois do acidente com o caminhão do 23º Batalhão de Infantaria nesta quarta-feira (16). Os colegas que estavam no veículo com Alexandre, Diogo Felipe Veiga, 18, e Alex Carvalho da Cruz, 21, foram sepultados em Indaial no mesmo dia. Outros 38 ficaram feridos.

Ao lado do caixão, a mãe de Alexandre, Cleusa Maciel da Silva, contou à reportagem o quanto o filho era querido e esforçado. No domingo (13), último dia que falou com o rapaz, ouviu do outro lado da linha a animação de quem iria fazer o acampamento e treinos de tiro com os outros soldados.

— Ele pretendia fazer carreira. Era carinhoso, me abraçava, levantava. Marchava comigo no colo. Era tudo de bom. Eu sinto dor, às vezes não sei onde estou — desabafou a mãe.

A amiga da família, Noeli Pinheiro, acompanhou a despedida no Cemitério São José de Blumenau:

— Era um menino alegre, estudioso, extrovertido, organizado, comprometido com tudo que fazia. Torci por ele, era o sonho dele entrar para o Exército, sonho que foi decepado — disse a amiga.

Estavam na carroceria

Em entrevista à equipe de reportagem da NSC TV Blumenau, o comandante da 14ª Brigada de Infantaria Motorizada, o general Márcio Abreu Pereira afirmou que, em princípio, as três vítimas estavam na carroceria do caminhão. Os três militares na cabine não tiveram ferimentos graves, ainda conforme Pereira.

Questionado sobre as circunstâncias do acidente, ele confirmou a instauração de um inquérito para investigar o caso, obedecidos os prazos regulamentares. Abreu também destacou que o 23º BI vai prestar todo o apoio legal às vítimas que seguem hospitalizadas, assim como as famílias dos soldados que morreram.

— Estamos de luto por essa fatalidade, a dor que sentimos é tão grande quanto a que essas famílias estão sentido — lamentou o general.

O caminhão que levavam os militares foi retirado por um guincho na tarde desta quinta-feira (17) e levado ao Batalhão.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Rio fica vermelho em Criciúma após acidente em empresa química

Segundo a Diretoria Municipal de Meio Ambiente, o lançamento do material já foi contido

Governo do Estado libera R$ 50 milhões para assistência social

O repasse será realizado em três parcelas. Estão previstos R$ 20 milhões para maio; R$ 15 milhões para agosto e outros R$ 15 milhões para novembro

Médico da policlínica de SC vendia remédios a R$ 1,2 mil a pacientes do SUS, diz polícia

Polícia cumpriu mandado de busca e apreensão no consultório particular do médico, na região central da cidade

Homens fantasiados invadem apartamento, deixam reféns e levam R$ 97 mil em SC

Ladrões se passaram por eletricistas vestindo macacões cinzas luminosos da Celesc; vítimas foram deixadas amarradas no Centro de Balneário Camboriú