Litoral

Família de SC encontrada morta em apartamento no Chile tinha viajado para comemorar aniversário da filha

Cinco catarinenses estão entre os seis brasileiros mortos na capital chilena.

Divulgação

Cinco catarinenses estão entre os seis brasileiros encontrados mortos, na quarta-feira (22), em um apartamento em Santiago, no Chile. As vítimas são um casal de Biguaçu, na Grande Florianópolis, os dois filhos, além de outro casal formado por um catarinense e uma mulher de Goiânia.

O grupo viajou à capital chilena para comemorar o aniversário de um dos adolescentes. Eles teriam sido vítimas de um vazamento de gás.

As vítimas foram identificadas como sendo o casal Fabiano de Souza, 41 anos, e Débora Muniz Nascimento de Souza, 38 anos, e os filhos Caroline Nascimento de Souza, que completaria 15 anos nesta semana, e Felipe Nascimento de Souza, 13 anos. A família morava em Biguaçu.

Além deles, também morreram Jonathas Nascimento Kruger, 30 anos, que é catarinense e irmão de Débora, e a esposa dele, Adriane Krueger, que é de Goiânia. O casal morava na cidade de Hortolândia, em São Paulo.

A identidade das vítimas foi confirmada pela família. Até as 6h30min desta quinta-feira (23), o Ministério das Relações Exteriores não havia divulgado os nomes.

Segundo Noemi Fortunato Nascimento, prima de Jhonatas e Débora, por meio de mensagens a mulher teria relatado que estava se sentindo mal, e que as outras pessoas no apartamento também apresentavam sintomas estranhos.

Viagem de comemoração e volta antecipada

A família viajou a Santiago para comemorar os 15 anos de Caroline. Eles teriam alugado um apartamento na capital chilena por meio de um aplicativo de celular e, segundo a prima do casal, estavam prestes a voltar a Santa Catarina, pois a mãe dos irmãos Jhonatas e Débora faleceu em Florianópolis na madrugada de quarta.

De acordo com o Itamaraty, um diplomata do Consulado do Brasil em Santiago encontrou os corpos após receber um alerta de um delegado de Santa Catarina. De acordo com o ministério, o policial foi acionado por familiares das vítimas.

“Pudemos constatar que havia seis pessoas mortas, quatro adultos e dois menores, e que possivelmente sua morte teria sido provocada por emanação de gás” disse o comandante Rodrigo Soto à imprensa local.

O Corpo de Bombeiros procedeu à evacuação imediata do edifício. Depois, foram feitas medições no apartamento e descobriram altas concentrações de monóxido de carbono – gás que não tem cheiro e cuja inalação provoca a morte.

Quando a polícia entrou no local, notou que todas as janelas estavam fechadas, o que teria provocado a grande concentração do gás, de acordo com Soto.

Os policiais isolaram as ruas vizinhas ao prédio e iniciaram uma investigação para confirmar as causas das mortes dos turistas, enquanto os bombeiros faziam buscas por possíveis vazamentos de gás no local.

Com informações do site Mundo Gauchazh

Notícias Relacionadas

2ª edição do Salão do Imóvel de Criciúma já tem data marcada, em Criciúma

Evento será realizado de 25 a 27 de maio e terá ainda mais facilidades nas condições de financiamento.

Prefeitos e vereadores do Sul se posicionam contra praças de pedágio na BR-101

O empreendimento prevê investimentos de R$ 6,5 bilhões, sendo R$ 2,9 bilhões em investimentos e R$ 3,6 bilhões em custos operacionais nos 30 anos de concessão.

Governador anuncia extinção da Secretaria de Turismo Cultura e Esporte

Eduardo Pinho Moreira (MDB) não confirmou data de fim da pasta. Tendência é que órgão seja absorvido pelo gabinete do governador, informou assessoria.

Santa Catarina tem a menor taxa de desemprego do Brasil