Geral

Fiéis recebem as cinzas e são motivados à ação pela Campanha da Fraternidade 2017

Fiéis recebem as cinzas e são motivados à ação pela Campanha da Fraternidade 2017

Fotos: Bibiana Pignatel / Comunicação Diocese de Criciúma

Com a Catedral São José lotada de fiéis, a Diocese de Criciúma lançou, na noite dessa quarta-feira (1), a Campanha da Fraternidade 2017, iniciativa da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil em todo o país e que acompanha o tempo da Quaresma.

A missa, que teve início às 20 horas, presidida pelo bispo diocesano, Dom Jacinto Inacio Flach, e concelebrada pelo coordenador diocesano de pastoral, padre Joel Sávio, contou com a bênção e imposição das cinzas, que marca o início da caminhada quaresmal da Igreja.

Como viver a Quaresma

Em sua homilia, Dom Jacinto disse que a quaresma é um tempo em que cada cristão é convidado a olhar para dentro de si para entrar em um processo de conversão para Deus. “O destino último de nossa vida é a conversão em Deus. Somos pecadores e nossa alegria e nosso consolo é que Deus é cheio de misericórdia e está sempre com aqueles que buscam, humildemente, a perfeição. Para isso, precisamos da ajuda de Deus e do nosso empenho”, afirmou o epíscopo.

Dom Jacinto enfatizou que o tempo quaresmal deve ser dedicado à oração, ao jejum, à abstinência, à penitência e ao amor ao próximo. “Não só se abster de comida e bebida, mas sentir que podemos controlar nossos sentidos e instintos que, muitas vezes, podem nos levar a uma vida superficial, que não nos garante a paz. O jejum também nos faz lembrar o próximo a quem falta tantas coisas”, acrescentou.

O bispo também lembrou que no tempo de preparação à Páscoa o fiel não pode deixar de fazer sua confissão sacramental. “Cada um de nós precisa da graça de Deus. Nós católicos cremos e buscamos um Deus cheio de misericórdia, que olha para nós com muito amor. Temos coisas bonitas que por vezes superam nossas faltas”.

Refletir a CF e agir em defesa dos biomas

Ao final da missa, tomou a palavra o padre Joel Sávio, que recordou que desde 1964 a CNBB mobiliza a reflexão e ação sobre temas através das edições da Campanha da Fraternidade. “A Campanha vem, a cada ano, fortalecendo a dimensão solidária de nosso povo. É um tempo de reflexão e de compromisso cristão”, disse.

Padre Joel apresentou o cartaz da CF, cujo tema deste ano é “Fraternidade: Biomas Brasileiros e Defesa da Vida” e lema “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2,15) e motivou para além do estudo, que cada cristão se mobilize de forma pessoal e reflita sobre seu modo de conduzir a vida e de usufruir dos bens de uso comum.

No Domingo de Ramos, 9 de abril, acontece, em todo o Brasil, a Coleta da Solidariedade, cuja arrecadação é destinada a projetos sociais ligados ao tema proposto pela edição: 60% fica na diocese e 40% vai para o Fundo Nacional de Solidariedade.

Colaboração: Bibiana Pignatel / Comunicação Diocese de Criciúma

  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27

Notícias Relacionadas

Diocese de Criciúma promove lançamento da Campanha da Fraternidade

Bispo Dom João Francisco Salm fala sobre Campanha da Fraternidade 2017 na Câmara de Vereadores de Orleans

Bispo lança Campanha da Fraternidade e orienta fiéis para bem viverem a Quaresma

Padres da Diocese de Criciúma celebram Via Sacra durante encontro de espiritualidade