Geral

Governo de Nova Veneza expõe maquinários em frente ao Paço Municipal

Foto: Divulgação

O Governo de Nova Veneza colocou em exposição quatro maquinários no pátio do Paço Municipal que irão atender as demandas da Intendência de São Bento Baixo, Secretaria Municipal de Agricultura e APAE.

O caminhão caçamba será entregue para equipar a Intendência de São Bento Baixo, uma reivindicação antiga para facilitar e melhorar os serviços prestados ao Distrito. A Secretaria Municipal de Agricultura também receberá dois tratores, sendo um deles com ensiladeira. O maquinário para o setor agrícola é proveniente de emendas parlamentares do deputado federal, João Rodrigues e do estadual, Moacir Sopelsa.

Já o veiculo Van, adaptado, zero quilômetro, é de uma emenda parlamentar do deputado federal Ronaldo Benedet e contrapartida da Prefeitura Municipal.

“Eu e o meu vice Zé Spilere encerramos o ano com essas conquistas para à população de Nova Veneza. Durante todo o ano sempre destaquei que o importante era buscar recursos em prol do nosso município independente de bandeira política. Prova disso, são emendas parlamentares vindas deputados estadual e federal para atender a demanda da nossa cidade na agricultura, na intendência e APAE. Nós só temos a agradecer a todos os deputados que entenderam a importância de investir em nossa município”, afirmou.

Colaboração: Cris Freitas/ Comunicação Prefeitura de Nova Veneza

Notícias Relacionadas

Projeto da praça do Distrito de São Bento Baixo é aprovado pela comunidade em Nova Veneza

O Governo de Nova Veneza promoveu, na última segunda, dia 1º de outubro, uma reunião para apresentar o projeto para a revitalização da praça

Eleições 2020: Locais de votação sofrem mudanças em Orleans e Lauro Müller

Eleitores devem estar atentos aos novos locais. A decisão é da Juíza Rachel Bressan Garcia Mateus.

Bolsonaro anuncia revogação de decreto para concessão das UBS

Decreto previa estudos e avaliação de parcerias com iniciativa privada

Tratamento dentário em crianças diminui até 89% na pandemia

Queda nos tratamentos foi mais intensa no Nordeste