Saúde

Governo de SC divulga ordem para vacinação de reforço contra Covid-19

Campanha da dose de reforço tem como alvo idosos com mais de 70 anos e pessoas imunossuprimidas, aplicação será feita em períodos diferentes

Divulgação

Santa Catarina começa a aplicar as doses de reforço contra a Covid-19 neste mês. Os primeiros grupos contemplados serão os idosos com mais de 70 anos que serão atendidos de forma escalonada. A partir do dia 15 de setembro a aplicação em pessoas com alto grau de imunossupressão será iniciada.

A ordem de imunização foi anunciada nesta terça-feira (31). Entre os idosos, serão imunizados apenas aqueles com mais de 70 anos e que receberam a segunda dose ou dose única há pelo menos seis meses. Assim como ocorreu nas campanhas de primeira dose, a aplicação começará pelas pessoas de mais idade, divididas em quatro grupos etários:

idosos de 85 anos e mais;

idosos de 80 a 84 anos;

idosos de 75 a 79 anos; e

idosos de 70 a 74 anos.

Já as pessoas imunossuprimidas, que começam a ser imunizadas a partir da segunda quinzena do mês, poderão tomar a dose de reforço após 28 dias depois da última dose do esquema básico, segundo a Dive/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina).

Campanhas

O início depende do envio de novas remessas pelo Ministério da Saúde. Além da dose de reforço e da segunda dose, Santa Catarina contará, em setembro, com o início da imunização de adolescentes de 12 a 17 anos, além dos adultos remanescentes.

O quantitativo de doses direcionadas para as três campanhas será definido a cada remessa. A princípio, a CIB (Comissão Intergestores Bipartite) tinha definido a distribuição meio a meio para adolescentes e grupos alvos da terceira dose.

A Pfizer será o único imunizante utilizado nos jovens por ser a única vacina liberada até então para o grupo. Aos imunossuprimidos a orientação é a mesma, entretanto, “outras vacinas poderão ser utilizadas de maneira alternativa aquelas de vetor viral como as dos fabricantes Janssen ou AstraZeneca/Fiocruz. Neste caso, a Dive realizará a recomendação conforme as remessas de vacinas”, informou a Diretoria.

Documentos para imunossuprimidos

Cadastros já existentes nas Unidades de Saúde ou outros serviços dos municípios que comprovem a condição;

Atestado médico ou relatório médico com a indicação da condição da pessoa, contendo a descrição do CID e prazo de validade de 1 ano para as prescrições de medicamentos de uso não controlados;

Atestado médico ou relatório médico com a indicação da condição da pessoa;

Prescrição médica ou exames ou receitas que deixem claro a condição da pessoa considerando o prazo de validade de 1 ano para as prescrições de medicamentos de uso não controlados.

Com informações do ND+

Notícias Relacionadas

Unibave presente na Sipat da empresa Plaszapel

Por meio do programa Geração Unibave, foram ofertadas palestras de “Educação Financeira” e “Dependência Química: álcool e outras drogas”.

Identificado o homem morto a facadas e com golpes de pedra na cabeça em Criciúma

A morte de Filipe da Silva Martinho está sob investigação da Polícia Civil.

Sucesso na primeira edição, Cicloturismo deve entrar no calendário de eventos de Morro da Fumaça

Aproximadamente 600 pessoas participaram do evento neste domingo

Projeto de Lei sobre Agricultura Familiar é apresentado para Epagri e agricultores em Criciúma

Objetivo do PL é ser uma política pública de Agroecologia e Produção Orgânica