Norte

Grupo com 34 imigrantes venezuelanos chega nesta terça-feira em Palhoça

Alguns deles já estão fazendo serviços autônomos até que encontrem um trabalho definitivo.

Refugiados venezuelanos embarcam em avião da Força Aérea Brasileira (FAB) com destino a São Paulo e Cuiabá (Foto: Antônio Cruz/Arquivo/Agência Brasil)

Nesta terça-feira (20), chegam os demais venezuelanos do grupo de 60 que ficará em Palhoça. Na semana passada 26 deles chegaram à Santa Catarina e estão instalados no complexo Dom Jaime Câmara, de propriedade do Governo do Estado. Da mesma forma, os 34 que chegam nesta terça devem pousar no aeroporto Hercílio Luz por volta das 18 horas num avião da Força Aérea Brasileira – FAB. Logo depois seguirão num ônibus do exercito até Palhoça, onde irão morar por cerca de seis meses.

Os venezuelanos que chegaram semana passada farão nesta terça-feira cadastro no SINE para facilitar a busca de vagas no mercado de trabalho. Alguns deles já estão fazendo serviços autônomos até que encontrem um trabalho definitivo.

Desta vez a consultora geral da SST Mariah Nascimento, estará no vôo que vem de Roraima. Ela embarcou ainda no sábado para acompanhar toda a trajetória deste último grupo que está sob acompanhamento do Governo do Estado.

Parceria

As providências para vinda deste novo grupo foi uma parceria entre Governo Federal, Governo do Estado, por meio da Secretaria de assistência Social Trabalho e Habitação, Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados – ACNUR e ONG DU Projetos da Grande Florianópolis.

O Governo Federal fará o repasse de R$ 2 mil e 400 reais adiantados para manutenção de cada um deles por seis meses. A SST cedeu duas casas de três quartos cada, localizadas no complexo Dom Jaime, que foram reformadas para melhor atendê-los com recursos repassados pela ACNUR. A Secretaria fez três orçamentos para as melhorias necessárias e repassou a eles que trataram diretamente com a empresa que realizou a reforma.

Para atender as necessidades iniciais dos imigrantes a SST realizou campanhas de arrecadação junto à comunidade, recebendo doações como produtos de higiene, cama e banho, além de roupas e outros utensílios. A ONG Du Projetos também está emprenhada em arrecadar alimentos e fará o acompanhamento das famílias.

Todos os imigrantes já estão com a avaliação de saúde feita, carteira de vacinas atualizada e documentação regularizada para permanência e trabalho em Santa Catarina.

Colaboração: Comunicação / Patrícia Antunes

Notícias Relacionadas

Setembro Amarelo: ações de valorização da vida e prevenção ao suicídio são realizadas em Lauro Müller

O tema é considerado um problema de saúde pública e mata um brasileiro a cada 45 minutos e uma pessoa a cada 45 segundos em todo mundo.

Parque dos Imigrantes: inauguração promete tradição e muita música

Comemorações do aniversário de 139 anos de Criciúma iniciam às 8h com missa e corte de bolo na Praça Nereu Ramos.

Parque dos Imigrantes: diversão, atrativos e preservação da cultura

Atafona e labirinto verde são alguns dos atrativos do local. Inauguração será dia 6 de janeiro.

Coopercocal realiza encerramento do grupo Mulheres Artesãs

Curso atingiu 47 participantes divididas em quatro turmas. Mais vagas do projeto “Mulheres Artesãs serão oferecidas no próximo ano.