Geral

Horário de verão nas repartições públicas causa indignação em Lauro Müller

Nas redes sociais, moradores reclamam da medida, que entra em vigor a partir de hoje. Prefeitura busca diminuir gastos em período de queda no atendimento

Divulgação

O novo decreto que dispõe do horário de verão nas repartições públicas de Lauro Müller tem causado rebuliço nas redes sociais. Isso porque, a partir de hoje, a prefeitura e algumas secretarias já pré-determinadas passam a atender das 7h às 13h, com turno único nos setores e seis horas de trabalho diárias ininterruptas.

“A pergunta que fica: haverá redução dos salários compatível com a redução de carga horária de trabalho? Pois, se até o Governo Federal fez estudo e disse que o horário de verão não gera economia, por qual motivo a prefeitura irá fazê-lo? Não atendem as pessoas sem ofício e horário agendado porque estão sempre com muito serviço. Se em oito horas já está essa situação, imagina em seis”, disse uma internauta, indignada com a publicação.

A medida, conforme o decreto nº 294/2021, busca diminuir gastos com despesas como energia elétrica, ar condicionado, água, combustível e materiais de trabalho, com base na diminuição do fluxo de atendimento ao público externo, já reconhecido pela queda nos meses de dezembro e janeiro.

“Reduz o salário proporcionalmente também? Vergonha!”, comentou um morador. “Horário de verão?”, indagou outro.

As secretarias de Administração, Obras, Agricultura, Turismo, Assistência Social – ressalvados os órgãos essenciais, a Fundação de Meio Ambiente e a Prefeitura passam a adotar o horário de verão. A medida não se aplica às creches e escolas, às Unidades Básicas de Saúde, o Centro de Especialidades Médicas e a Farmácia Municipal. Nesses estabelecimentos, o atendimento permanece o mesmo.

Concessão de férias coletivas

Também foi estipulado, através do decreto, o recesso de fim do ano dos principais órgãos públicos, entre 21 de dezembro e 5 de janeiro, “considerando ainda que haverá a manutenção da prestação dos serviços essenciais, sem prejuízo à população”, dispõe o documento.

A reportagem do Jornal Tribuna de Notícias tentou contato com a prefeita de Lauro Müller, Saionara de Carvalho Bora, porém, até o fechamento da edição desta segunda-feira, não obteve retorno.

Com informações do TNSul

Notícias Relacionadas

Dez escolas municipais de Criciúma já tiveram seus documentos antigos digitalizados

Objetivo da Secretaria de Educação é criar acervo com decretos, cadastros de estudantes e professores, fotos históricas e demais documentos das unidades de ensino

Colégio Satc inicia transição de alunos para novas séries

Desafios e mudanças para os alunos que passam para o Ensino Fundamental são monitorados pelo corpo pedagógico

“Estamos perto de ver o topo da inflação”, diz presidente do BC

Campos Neto afirma que pode haver melhora no ano que vem

Queda de elevador deixa um homem ferido dentro de padaria em SC

Estado de saúde da vítima é estável; acidente aconteceu no bairro América