Geral

Mulher indenizará ex-namorado e atual companheira por xingamentos em rede social

A acusada, ao ser ouvida pela autoridade policial, confessou ter feito as postagens.

Divulgação

Uma mulher foi condenada pelo juízo da comarca de Içara após publicar comentários difamantes e caluniosos no perfil de um homem com quem tinha se relacionado.

Na publicação, a ré refere-se ao ex com expressões como “antipático”, “lixo”, “cachaceiro” e “gigolô”, e a atual companheira dele, coautora da ação, é tratada como “prostituta”, “bagaceira”, “fugida” e “falida” entre outros termos e até impropérios mais ofensivos. Além disso, rogou praga ao dizer que o casal iria “se encontrar no inferno”.

Os comentários, que tiveram grande repercussão, foram feitos diretamente no perfil pessoal do homem, ao qual tinham acesso seus familiares, amigos e clientes. A acusada, ao ser ouvida pela autoridade policial, confessou ter feito as postagens.

“Não há dúvida que a ré cometeu ato ilícito e indenizável, (…) pois houve uma conduta dolosa, que atingiu a honra subjetiva dos autores, causando-lhes prejuízo moral, o qual, na hipótese, é presumido, ainda mais por se tratar de ofensa proferida em rede social”, destaca a decisão.

A ré foi condenada a indenizar, por danos morais, em R$ 1 mil cada um dos autores da ação, com juros e correção monetária. Para fixar a indenização foi levada em conta, entre outras questões, a profissão da ré, que indicava ser pessoa de baixa renda. Cabe recurso da decisão.

Colaboração: Comunicação PJSC

Notícias Relacionadas

Marido morre em acidente de carro três dias após suspeita de matar mulher a tiros em SC

Colisão contra caminhão ocorreu nesta segunda na BR-116. Mulher foi encontrada morta na sexta, atingida por três disparos na cabeça.

Tribunal de Justiça mantém indenização para casal agredido por seguranças de CTG em Içara

Com cassetetes, os seguranças danificaram o automóvel das vítimas e ainda atingiram a mulher com um golpe no olho.

Homem é condenado por extorquir e divulgar “nudes” de mulher com quem teve namoro

O réu foi condenado a 14 anos, dez meses e 22 dias de reclusão, em regime fechado, além do pagamento de 40 dias-multa.

Mulher morre atropelada em Criciúma e motorista deve se apresentar à Polícia Civil

Vítima foi atingida e condutor não prestou socorro no domingo. Carro foi apreendido nesta segunda e advogado deve acompanhar suposto autor na delegacia.