Segurança

Mulher morre atropelada em Criciúma e motorista deve se apresentar à Polícia Civil

Vítima foi atingida e condutor não prestou socorro no domingo. Carro foi apreendido nesta segunda e advogado deve acompanhar suposto autor na delegacia.

Divulgação/Polícia Civil

Uma mulher de 26 anos morreu na manhã de domingo (11) atropelada na calçada em Criciúma. Segundo a Polícia Civil, o autor do atropelamento não prestou socorro, mas deve se apresentar nesta segunda-feira (12).

Ediane da Cunha foi atingida por volta das 6h. Ela estava indo para o trabalho quando uma Pajeiro a atingiu. Segundo a Polícia Militar, a vítima foi projetada a mais de 18 metros após a colisão.

Câmeras da região registraram o momento da batida. Um vigilante de uma empresa de segurança prestou depoimento para a Polícia Militar e informou que a mulher era colega de trabalho dele.

Conforme o delegado Jorge Giraldi, nesta segunda-feira a equipe da Delegacia de Investigações Criminais (DIC) encontrou o carro no bairro São Luís. Segundo Giraldi, há marcas compatíveis com a colisão e o veículo foi apreendido para perícia.

O delegado Fernando Pagani Possamai, responsável pelo caso na Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcami) de Criciúma, afirmou que o suposto autor deve prestar esclarecimentos à 1ª Delegacia de Polícia Civil nesta tarde, acompanhado de um advogado.

Possamai ainda diz que apenas após a oitiva do suspeito vai falar sobre a investigação do caso.

Com informações do G1 SC

Notícias Relacionadas

Morador é executado com cinco tiros em Criciúma

Segundo informações, a vítima saiu recentemente do presídio e possui passagens por pedofilia e estupro de vulnerável.

Quatro adolescentes criam startup para fiscalizar os poderes de Criciúma

O objetivo dos jovens é reunir informações dos poderes Legislativo e Executivo do município de Criciúma em uma plataforma mais acessível.

Tribunal de Justiça catarinense confirma pena para empresário que vendeu pipoca com rato dentro em Criciúma

Uma das vítimas, após ingerir a pipoca, teve intoxicação alimentar aguda causada por alimento contaminado.

Motorista que passeava por Garopaba com CNH falsa é condenado a 3,6 anos de reclusão

O documento tinha a foto dele, mas o nome era de outra pessoa. Na delegacia, os policiais descobriram a verdadeira identidade do réu e constataram que havia contra ele um mandado de prisão em aberto, por roubo tentado.