Saúde

O que se sabe sobre a aplicação da dose de reforço contra a Covid-19 em adultos

Recomendação é que todos os adultos com 18 anos ou mais recebam a dose adicional contra a doença; em SC, quase 4 milhões de pessoas poderão receber o imunizante até o próximo ano

Divulgação

A campanha de imunização contra a Covid-19 ganhou mais uma etapa nesta terça-feira (16). Agora, adultos, com 18 anos ou mais, podem receber a dose de reforço, que é aplicada cinco meses após a pessoa completar o ciclo vacinal. O anúncio, no entanto, trouxe algumas dúvidas, principalmente de como a vacinação vai ocorrer.

Segundo o Ministério da Saúde, a liberação da dose de reforço para todos os adultos é baseada em pesquisas científicas que apontam uma queda na resposta dos imunizantes, principalmente a partir do quinto mês após a segunda dose. Além disso, a expectativa é que, com a aplicação da medida, se possa evitar uma nova onda da Covid-19 no país, como a que vem ocorrendo na Europa nos últimos dias.

Em Santa Catarina, a expectativa da pasta é que até maio de 2022, 3.904.590 pessoas estejam aptas para tomar a dose de reforço no Estado. Só em novembro, a dose extra pode ser aplicada em 381.660.

Apesar disso, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC) ainda não definiu uma data de quando a dose de reforço começará a ser aplicada nos adultos. Isto porque o órgão aguarda as orientações oficiais do Ministério da Saúde. Enquanto isso, segue no Estado a aplicação da dose extra em idosos, profissionais da saúde e imunossuprimidos.

Como será a aplicação da dose de reforço?

Todo o adulto que tomou a segunda dose da vacina, ou seja, completou o esquema vacinal, independente do imunizante, poderá tomar a dose de reforço depois de cinco meses.

A orientação é de que seja utilizada uma vacina diferente da que ele tomou. Porém, o MS recomenda que a dose de reforço ocorra, preferencialmente, com vacinas da Pfizer. Por isso, ainda não há informações de como será aplicada a dose de reforço em quem tomou as duas doses da fabricante.

Mas isso não significa que só a Pfizer será utilizada nas doses extras. Imunizantes da Astrazeneca e da Janssen também podem ser aplicados.

Haverá um calendário para aplicação das doses?

Durante coletiva de imprensa, nesta terça-feira, o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, explicou que não haverá um calendário por faixa etária para tomar a dose adicional.

— Acima de cinco meses da segunda dose, independentemente da idade, já se pode buscar a sala de imunização — disse.

Segundo o MS, a quantidade de pessoas aptas à tomar a vacina por faixa etária, até maio de 2022, é a seguinte:


18 e 19 anos: 2.755.797 pessoas;
20 a 29 anos: 17.571.514 pessoas;
30 a 39 anos: 20.948.060 pessoas;
40 a 49 anos: 20.846.471 pessoas;
50 a 59 anos: 19.928.929 pessoas;
60 a 69 anos: 14.219.657 pessoas;
70 a 79 anos: 4.434.183 pessoas;
80 anos ou mais: 2.540.109 pessoas.

Já o cronograma de aplicação da dose de reforço em adultos com 18 anos ou mais, de acordo com o MS, nos próximos meses é o seguinte:


Nov/21: 12,4 milhões de vacinados;
Dez/21: 2,9 milhões de vacinados;
Jan/22: 12,4 milhões de vacinados;
Fev/22: 21,6 milhões de vacinados;
Mar/22: 29,6 milhões de vacinados;
Abr/22: 19,6 milhões de vacinados;
Mai/22: 4,3 milhões de vacinados.

Ainda segundo o ministro Marcelo Queiroga, a Saúde deve adquirir novas doses para garantir os imunizantes à população durante a campanha.

Quem terá que tomar a segunda dose da Janssen?

Nesta terça-feira, o Ministério da Saúde também divulgou que, a partir de agora, a pessoa que tomou a vacina da Janssen terá que tomar mais uma dose do imunizante. De acordo com a pasta, a medida segue uma tendência mundial.

— Quem tomou a Janssen completará o esquema vacinal. Embora seja de dose única, compete a nós [Ministério da Saúde] as definições. A pessoa tomará duas doses, em um intervalo de dois meses —, explicou a Secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite de Melo.

O esquema será parecido com o que ocorre com a vacina da Astrazeneca. A pessoa, após tomar a primeira dose, irá aguardar um prazo de oito semanas para tomar a segunda. Ela também poderá, cinco meses depois, se vacinar com a dose de reforço, que pode ser de outro tipo de imunizante.

De acordo com o MS, as doses da Janssen para aplicação da segunda dose será distribuída aos Estados e municípios a partir de sexta-feira (19).

Com a dose adicional da Janssen, a pessoa não está mais imunizada se tomou apenas uma dose?

Por enquanto, o status da pessoa imunizada com a Janssen segue como “completamente imunizado” mesmo com apenas uma dose. Isto porque, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a empresa não solicitou a inclusão de uma segunda dose em seu esquema vacinal. Porém, ela conversa com a agência para esclarecer informações sobre a aplicação de reforço.

“Segundo a Janssen, a previsão é que até a próxima semana a empresa entregue os estudos para Anvisa sobre a eficácia da dose de reforço”, disse a Anvisa em nota.

*Com informações do G1, Metrópoles, Agência Brasil e NSCTotal

Notícias Relacionadas

Acusado de atropelar ciclista é indiciado por homicídio culposo, em Criciúma

Condutor da Volkswagen Amarok compareceu à DP após dois dias do atropelamento. Na época dos fatos, à polícia, o motorista disse não ter visto no que o carro colidiu e que também não havia ingerido álcool.

Policial lembra tensão durante mega-assalto em Criciúma: “Não tínhamos ideia do que era”

Um ano após o ataque que aterrorizou a cidade no Sul do Estado, investigações seguem em sigilo

Menina de 3 anos morre atropelada por caminhonete em SC

Segundo os bombeiros, quando chegaram no local a criança estava morta no colo da mãe

Nenhuma aposta acerta a Mega-Sena; prêmio acumula em R$ 16 milhões

As dezenas sorteadas são as seguintes: 08 - 09 - 32 - 52 - 53 -57