Geral

Oficinas auxiliam no desenvolvimento de alunos da Apae

Em Araranguá, entidade oferece aulas de Artesanato, Marmoraria, Tecelagem e Prendedores

Alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Araranguá participam diariamente de oficinas na entidade. Ao todo, são quatro aulas: Artesanato, Marmoraria, Tecelagem e Prendedores.

De acordo com a diretora da Apae de Araranguá, Clarinda de Vila, essas aulas trazem inúmeros benefícios aos participantes.  “Muito mais que passar o tempo, as oficinas auxiliam no desenvolvimento, concentração, atenção e coordenação motora dos nossos alunos”, explica.

Com as oficinas, os alunos também aprendem dicas para viverem no dia a dia. “Muitos deles não sabem contar dinheiro, por exemplo. Então nós vamos trabalhando essas dificuldades nas aulas para que eles consigam realizar atividades que pra gente são normais”, informa a professora da oficina de Prendedores, Regicelene Cidade.

Eles querem ser aceitos

Com 38 anos, o Simão Niche antes de frequentar a Apae sentia que não era aceito pela sociedade. Ele foi começar a se sentir útil através das oficinas. “A gente aprende coisas aqui que ninguém mais ensina”, declara.

Conforme ele, sem o valor da sociedade, a autoestima ficava lá embaixo. “Agora sou feliz. Eu me sinto mais seguro até pra ir ao mercado”, completa.

Lucro com oficinas é revertido em benefícios aos alunos

Os materiais produzidos pelos alunos, como prendedores, artesanatos e tapetes, são vendidos. O dinheiro arrecadado com as vendas é revertido em passeios e outros benefícios para eles. Quem quiser contribuir com as vendas, pode entrar em contato com a instituição pelo telefone (48) 3522-0825.

Colaboração: Filipe Gabriel Teixeira/Assessoria de Imprensa

  • 3be7f959eeccbb0c89f79a645c6d5cd5
  • 294da0ac39d919302053aa42bc515d9b
  • f64d63c549e88fbecee4b726841eb413
  • c9dc50a7d7f7d2ecb9d746835fb7e73b