Litoral

PBF avista 47 baleias francas em sobrevoo no litoral sul

O número de mamíferos na região é menor que em outros anos, mas isso se deve às influências climáticas do El Niño. Em 2015 foram avistadas 60 baleias.

Foto: ORJ Comunicação

Foto: ORJ Comunicação

Integrantes do Projeto Baleia Franca (PBF) realizaram na quinta-feira um sobrevoo de observação e contabilizaram a presença de 45 baleias. Foram 11 pares de mães e filhotes e outros 23 mamíferos solitários.

O sobrevoo foi feito nos limites da Área de Preservação Ambiental (APA) da Baleia Franca, entre Palhoça e Torres (RS). O próximo monitoramento será realizado na primeira quinzena de setembro.

Duas dessas baleias eram semialbinas. Uma delas estava em um grupo interagindo com outras duas baleias e a outra estava solitária. Essa coloração é decorrente de uma característica genética que, além de modificar a coloração, faz com que semialbinos geralmente sejam machos.

Esses mamíferos estavam na Praia Norte de Itapirubá, em Imbituba, e são os mesmos que haviam sido avistados no monitoramento realizado na temporada passada.

Segundo a diretora de pesquisa do PBF, a bióloga Karina Groch, a quantidade de baleias avistadas está dentro da estimativa feita no início da temporada. O número de mamíferos na região é menor que em outros anos, mas isso se deve às influências climáticas do El Niño. Em 2015 foram avistadas 60 baleias.

“Não só as baleias sofreram interferência. As colônias de pinguins também foram afetadas por esse fenômeno”, ressalta Karina.

Até o dia 17 de agosto, por terra a equipe do PBF havia registrado 114 avistagens de baleias, entre adultos e pares de mãe e filhote. Este número inclui contagens duplicadas de baleias que permanecem nas mesmas praias por vários dias, e a confirmação sobre o número de baleias que está na região somente foi possível a partir do primeiro sobrevoo desta temporada.

Com informações do Diário do Sul