Segurança

Prefeito e vice de Canoinhas são presos em operação que investiga fraudes e corrupção

Mandados de prisão e busca e apreensão são cumpridos em quatro cidades do Planalto Norte de SC

Divulgação

O prefeito de Canoinhas, Beto Passos (PSD), e o vice, Renato Pike (PL), foram presos na manhã desta terça-feira (29), numa operação que investiga fraudes e corrupção em serviços prestados ao poder público. A informação foi publicada em primeira mão pelo jornalista Raphael Faraco. Ainda não há informações sobre a motivação das prisões. A reportagem tentou contato com a defesa dos citados, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria.

A assessoria do município divulgou uma nota, ainda nesta manhã, confirmando que Willian Godoy, presidente da Câmara de Vereadores da cidade, assumiu o cargo de prefeito interinamente, “a fim de garantir a continuidade dos serviços públicos municipais”. O texto ainda cita que a prefeitura não vai se manifestar neste momento, já que o caso corre em segredo de Justiça.

Outras cidades alvo da operação

Além de Canoinhas, os 14 mandados de prisão e 47 de busca e apreensão estão sendo cumpridos nas cidades Bela Vista do Toldo, Itaiópolis e Porto União, no Planalto Norte catarinense, e Bituruna, no Paraná.

Nesta sétima fase da Operação Et Pater Filium são apurados crimes de organização criminosa, peculato, fraudes à licitação, corrupção e lavagem de dinheiro referentes a contratos de prestação de serviços nas áreas de educação e infraestrutura.

Estão sendo cumpridos 14 mandados de prisão – oito preventivas e seis temporárias – e 47 mandados de busca e apreensão, deferidos pelo Tribunal de Justiça do Santa Catarina, em razão da prerrogativa de foro de um dos investigados. Os documentos e objetos apreendidos serão analisados pelas equipes de investigação e apresentados em juízo.

Nesta fase da operação investigam-se crimes de organização criminosa, peculato, fraudes à licitação, corrupção e lavagem de dinheiro referentes a contratos de prestação de serviços nas áreas de educação e infraestrutura.

A ação, realizada pelo Ministério Público de SC, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organização (Gaeco), conta com mais de 140 agentes, entre policiais e demais forças de segurança pública, além de integrantes do Gaeco do Paraná, do Instituto Geral de Perícias (IGP) e da Secretaria da Administração Prisional.

Dois prefeitos já foram presos

Esta força-tarefa é fruto do desdobramento das investigações realizadas das fases anteriores da Operação Et Pater Filium em que se apuraram crimes contra a administração pública e outros na região do Planalto Norte, envolvendo agentes públicos e particulares.

Em agosto de 2020, o prefeito Orildo Antônio Servegnini, de Major Vieira, e o filho dele, Marcus Vinícius, foram presos na operação Et Pater Filium. Na ocasião, o prefeito também era presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam). Orildo e Marcus, inclusive, foram condenados a 57 e 41 anos, respectivamente, pelos crimes.

O MP afirmou que havia suspeitas de uma ligação próxima entre empresários e funcionários públicos para direcionar as contratações públicas, a maioria no ramo de construção civil, para empresas parceiras em troca do pagamento de vantagens ilícitas aos agentes públicos, causando danos milionários aos entes públicos.

Em julho de 2021, o prefeito Adelmo Alberti, de Bela Vista do Toldo, também foi preso na quarta fase da operação Et Pater Filium. No último dia 25, a esposa dele, Maria Emília Schiessl Alberti, também foi presa durante a quinta fase da mesma operação.

Trechos da denúncia do Ministério Público contra Alberti, divulgados pelo portal JMais, mostram que o prefeito teria supostamento utilizado empresas em nomes de laranjas em contratos públicos. Em uma negociação gravada, o MP aponta que Alberti teria recebido dinheiro de propina e guardado o envelope na cueca.

O que dizem as prefeituras

A reportagem entrou em contato com as prefeituras das quatro cidades do Planalto Norte de SC que são alvo da operação. Questionados sobre a prisão do prefeito e vice, a assessoria de imprensa de Canoinhas disse que a administração vai se manifestar ainda hoje.

Em Porto União e Itaiópolis, as assessorias disseram que os mandados de prisão e busca e apreensão não foram cumpridos na sede das prefeituras. Já no caso de Bela Vista do Toldo, a comunicação disse que ter conhecimento da força-tarefa.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Jovem estaciona carro na frente da casa da namorada e tem surpresa desagradável em SC

Polícia Militar precisou ser acionada por volta das 22h30 desta quinta-feira (26), em Campos Novos, no Meio-Oeste

Polícia Militar prende homem envolvido em tráfico de drogas em Criciúma

A Polícia Militar de Criciúma prendeu ontem, 26, homem envolvido em tráfico de drogas no bairro Jardim Maristela em Criciúma

Empréstimo de carro tem desfecho intrigante em SC

Polícia Militar foi acionada no município de Guaraciaba, no Extremo-Oeste do Estado nesta quinta-feira (26)

Aeroporto no Rio passa a exibir filmes pornôs em totens após ter painéis hackeados

Infraero diz que totens são de responsabilidade de empresa de publicidade