Geral

Quem é o professor universitário de SC morto a tiros no Ceará

Saul Gaudêncio Neto tinha 37 anos e era natural de Santa Cecília, na Serra

Foto: Ares Soares, Divulgação Unifor

O pesquisador e médico veterinário catarinense Saul Gaudêncio Neto, de 37 anos, foi morto a tiros em Fortaleza, no Ceará, na noite de quinta-feira (4). Ele era natural de Santa Cecília, na Serra de Santa Catarina.

A morte foi informada pela Universidade de Fortaleza (Unifor) onde ele atuava como professor e pesquisador no curso de Medicina Veterinária. “A universidade lamenta profundamente a morte do médico veterinário e pesquisador, Saul Galdêncio Neto, de 37 anos, vítima de homicídio na noite desta quinta-feira, dia 4 de Julho, nas imediações da Avenida Hermenegildo de Sá Cavalcante”, diz a nota de pesar.

O autor do crime foi preso por volta das 11h desta sexta (5), de acordo com o jornal O Povo. A Secretaria da Segurança do Ceará ainda não divulgou detalhes sobre as circunstâncias do crime e da prisão.

O professor foi morto dentro do carro. Mariana Mota, namorada de Saul, que o acompanhava no momento do crime, foi atingida com dois tiros, um no braço e outro na região da lombar, de acordo com o g1. Ela foi socorrida em um hospital da região.

O corpo do pesquisador será trazido a Santa Catarina, onde será velado e sepultado. Informações sobre o velório ainda não foram divulgadas.

Quem era Saul Gaudêncio

Filho único de uma empresária e de um pecuarista, Saul Gaudêncio Neto nasceu em Santa Cecília. Em 2004, ele começou a graduação em Medicina Veterinária no campus de Lages da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc).

A faculdade foi concluída em 2008 e, no ano seguinte, Saul começou o mestrado em Ciência Animal na mesma instituição. Ele estava cursando doutorado em Biotecnologia na Universidade Estadual do Ceará (Uece).

— Saul sempre foi muito estudioso e dedicado… Ele era uma pessoa muito boa. Não existia maldade no coração dele. Queria ajudar as pessoas através das pesquisas sobre medicamentos para tratar o câncer — diz a prima de Saul, Gabrielle Martins.

Saul atuava como pesquisador do Núcleo de Biologia Experimental (Nubex) da Unifor. Na carreira acadêmica, Saul se envolveu no estudo sobre cabras transgênicas que possuem capacidade de produzir um medicamento para o tratamento de vários tipos de câncer.

— Ele estava fazendo o doutorado dele, planejando casar com a namorada, ter filhos. Uma vida inteira pela frente. Não tem palavras pra descrever a dor que estamos sentindo — lamenta Gabrielle.

O curso de Medicina Veterinária da universidade publicou uma nota de pesar sobre a morte do professor. “Saul era um exímio profissional e ser humano que fará muita falta. Neste momento, pedimos a todos que coloquem todos os envolvidos em suas orações, em solidariedade aos familiares e amigos que partilham da dor e tristeza por sua partida”, diz a nota de pesar.

Com informações do NSC Total

Notícias Relacionadas

Comentarista de arbitragem diz que pênalti de Barreto foi “bem marcado”

Tigre perde para o Flamengo por 2 a 1, em Brasília

Dupla suspeita de lavar dinheiro milionário é presa em casa de shows em SC

Durante a operação, foram apreendidos veículos, celulares e documentos

Final de semana em SC terá sol e temperaturas próximas aos 30ºC

Embora os dias sejam quentes, as noites e madrugadas serão frias, com temperaturas variando entre 4°C e 10°C