Geral

Rizicultores encaminham reivindicações ao Estado e União

Foto: Divulgação / Clicatribuna

Rizicultores de Santa Catarina e Rio Grande do Sul se reuniram, nesta terça-feira (6), para debater e apresentar proposta à crise no setor. O encontro foi organizado pela Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Arroz e reuniu aproximadamente 2 mil pessoas no Centro de Eventos de Turvo.

Em números atuais, o custo de produção do arroz, é superior a R$ 40 por saca de 50 quilos, e o preço de comercialização ao produtor em R$ 31. Com isto, torna-se inviável ao agricultor, principalmente o pequeno manter-se na atividade.

Dentre os principais fatores desta crise, estão o excesso de oferta, consumo estagnado, preços que não cobrem custos de produção, preço mínimo abaixo dos custos, endividamento de produtores, inadimplência alta e importação do arroz do Mercosul. O evento encerrou com a formulação de uma carta aberta que será entregue aos governos Federal e Estadual.

“Os arrozeiros foram em busca de tecnologias, ampliaram a sua produtividade e novamente estão pagando o preço pelos altos custos de produção devido à pesada carga tributária”, frisou o coordenador da Câmara Setorial do Arroz, deputado Zé Milton, que no próximo dia 15, estará com o governador Raimundo Colombo para entregar a carta de reivindicação dos arrozeiros.

Alto estoque prejudica mercado

De acordo com o representante da Cooperativa Regional Agropecuária Sul Catarinense – Coopersulca, Luiz Fernando Bendo, o favorecimento da importação dos grãos e os altos custos de produção são os principais entraves aos rizicultores.

“Esses fatores criaram um superestoque. O Mercosul tem uma produção de 16 milhões de toneladas, enquanto o consumo é de 12 milhões de toneladas”, ressalta.

Deputado solicita atenção ao ministro da Fazenda

O deputado federal Ronaldo Benedet esteve ontem em audiência com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, solicitando ao governo medidas urgentes para os rizicultores de Santa Catarina e Rio Grande do Sul e foi informado que o Conselho Interministerial de Estoques Públicos irá se reunir hoje para discutir aquisição de 300 mil toneladas de arroz.

O Conselho que é formado pelo Ministério da Fazenda, Agricultura e Planejamento pretende comprar esse volume de arroz para que a Conab possa ter em estoque. Na prática, isso significa comprar produtos agrícolas, formar estoque e vendê-los na hora certa para regularização do mercado consumidor.

“O governo está sem estoque, comprando esse volume irá ajudar o pequeno agricultor que está enfrentando essa crise. Essa é uma medida muito importante e continuaremos monitorando para que nossos agricultores sejam beneficiados”, destacou o deputado federal Ronaldo Benedet, membro da Frente Parlamentar da Agricultura que estava acompanhado do deputado do Rio Grande do Sul, Luiz Carlos Heinze.

Além da medida de aquisição, o Governo Federal já anunciou que vai liberar R$ 100 milhões para apoiar a comercialização do arroz. “Estamos buscando alternativas para ajudar os rizicultores. Amanhã. os três ministérios irão se reunir para chegarmos a um acordo e poder ajudar os produtores de grãos”, informou o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Com informações do site Clicatribuna

Notícias Relacionadas

Crise: Senado aprova linha de crédito para profissionais liberais

Medida serve para reduzir os impactos financeiros do setor na pandemia

Pesquisa mostra crise gerada pela pandemia na economia criativa

Índice de organizações do setor que precisaram demitir é de 50,2%

Governo zera imposto de importação do arroz até o final do ano

Redução está restrita a 400 mil toneladas de arroz beneficiado.

Do TCC na Unesc para um negócio de até R$ 140 milhões

Formado há um ano na Unesc fez projeto que pode resultar em parceria entre Brasil e Senegal.