Geral

Santa Catarina gera 126 mil empregos com carteira assinada no primeiro semestre

Segundo o governador Carlos Moisés, o resultado do Caged comprova a pujança da economia catarinense, mesmo durante o período de pandemia. Ele lembrou que Santa Catarina possui pouco mais de 3% da população brasileira, mas responde por parte significativa do saldo de empregos dos últimos tempos

Divulgação

O mercado de trabalho está aquecido em Santa Catarina. Nos seis primeiros meses do ano, foram geradas 126.111 vagas de empregos formais no estado. Trata-se do terceiro melhor resultado do país no período. Somente em junho, o saldo ficou positivo em quase 15 mil. Em 12 meses, o resultado é ainda mais impressionante: foram criados 234.146 empregos formais em Santa Catarina. Os dados são do Ministério da Economia e constam no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado na manhã desta quinta-feira, 29.

Segundo o governador Carlos Moisés, o resultado do Caged comprova a pujança da economia catarinense, mesmo durante o período de pandemia. Ele lembrou que Santa Catarina possui pouco mais de 3% da população brasileira, mas responde por parte significativa do saldo de empregos dos últimos tempos. Em 2020, o Estado foi responsável por mais de um terço das vagas criadas no país.

“Esse é um dado que mostra que estamos no caminho certo. Santa Catarina oferece ótimas condições para os empreendedores, com segurança jurídica, e isso se reflete na geração de empregos, como vemos todos os meses. Outro diferencial do nosso estado é o alto nível de desenvolvimento de todas as suas regiões. Uma empresa que decide se instalar em Santa Catarina tem uma variada gama de opções, todas excelentes. Nós acreditamos que o mercado de trabalho continuará aquecido no segundo semestre, e quem ganha com isso é a nossa sociedade”, opinou o governador.

As dez cidades que mais geraram empregos no estado no primeiro semestre foram: Joinville (saldo de 10.838), Blumenau (9.763), São José (6.658), Itajaí (6.412), Chapecó (5.019), Jaraguá do Sul (4.881), Florianópolis (3.668), Brusque (3.465), Criciúma (3.302) e Tubarão (3.190). Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano Buligon, a criação de empregos em todas as regiões é fruto de um trabalho de prospecção de novos empreendimentos, além do aumento da confiança dos empresários na economia catarinense e brasileira.

“Santa Catarina segue crescendo acima da média nacional. Isso é consequência de uma economia diversificada e segura. E o emprego é algo primordial para os catarinenses. Já possuímos a menor taxa de desocupação e caminhamos para diminuí-la ainda mais e oferecendo mais oportunidades. O resultado do Caged nos anima para seguirmos trabalhando no desenvolvimento do nosso Estado”, assinalou Buligon.

Na divisão por setores, o setor de serviços teve o melhor desempenho em junho, sendo responsável por 6.860 novos postos de trabalho. Na sequência, veio a indústria (5.822), o comércio (3.730), a construção (1.164) e a agricultura (125).

Resultado nacional

Em todo o país, foram criados 309.114 postos de trabalho em junho. No acumulado do ano, o saldo é de 1,53 milhão. Estado mais populoso do país, São Paulo liderou o ranking (saldo de 491 mil), seguido de Minas Gerais (334 mil), Santa Catarina (126 mil), Paraná (118 mil) e Rio Grande do Sul (93 mil).

Notícias Relacionadas

Homem cai com carro em rio e fica em árvore à espera de resgate

Ele teria caído com o carro no Rio Capivari, conseguido sair do veículo, mas a altura da água impediu que chegasse à margem

Prazo para pedir voto em trânsito termina na próxima quinta-feira

Requerimento para votar em trânsito precisa ser feito presencialmente, em qualquer cartório eleitoral, sem necessidade de agendamento

Homem morre ao cair com carro em rio de Gravatal

Acidente foi registrado no final da manhã deste sábado (13)

Caravaggio perde e fica sem o acesso para a elite do Catarinense

Azulão da Montanha foi derrotado pelo Nação na tarde deste sábado (13), em Joinville