Segurança

Santa Catarina registra novos recordes com a redução dos índices de criminalidade em janeiro

O índice de latrocínio teve redução de 53,3% e o indicador de confronto policial caiu 90,67%

Divulgação

O Colegiado Superior de Segurança Pública de Santa Catarina divulgou os índices de criminalidade relativos ao mês de janeiro de 2022. Em comparação com os dados de janeiro do ano anterior, a taxa de homicídios sofreu redução de 3,49%, alcançando o melhor resultado para o período desde o início da série histórica em 2008.

O índice de latrocínio teve redução de 53,3% e o indicador de confronto policial caiu 90,67%. Ambos também representam os melhores índices já alcançados desde 2008. Os dados foram apresentados na noite desta nesta segunda-feira, 7, pelo Colegiado.

“O resultado mais uma vez confirma o acerto na criação do modelo de Colegiado de Segurança Pública, inédito no Brasil, além do investimento de R$ 343 milhões, o maior já realizado no setor em toda a história de Santa Catarina”, destaca o governador Carlos Moisés.

O número de roubos registrados no estado nesse primeiro mês do ano confirma queda de 17,54%, a melhor marca obtida desde 2010 se comparado ao mesmo período do ano anterior. O indicador de roubos e furtos a instituições financeiras também sofreu queda significativa entre os períodos comparados, alcançando uma redução de 54,55%. Melhor marca desde 2011.

Embora o índice de furtos tenha sofrido aumento de 12,26% em comparação com janeiro de 2021, o resultado obtido é o segundo melhor da série histórica que teve início em 2010. Destaque ainda para a redução do índice de violência doméstica, que caiu 4% no comparativo com o mesmo período.

Eficiência

O presidente do Colegiado Superior, perito-geral Giovani Eduardo Adriano, comemora mais uma série de resultados inéditos que comprovam a eficiência do trabalho desempenhado pelas forças de segurança. Ele destaca, ainda, que as instituições estão em diálogo permanente e atentas à evolução do cenário, de modo a estabelecer ações direcionadas a pontos mais sensíveis.

“O crime de estelionato continua avançando, principalmente, em função dos golpes praticados no ambiente digital. Esse é um desafio a ser superado e estamos trabalhando em busca de soluções, porém, nesse caso, a participação dos cidadãos é fundamental. Quando se conhece os riscos e as medidas de proteção, estudos mostram que 97% dos golpes não aconteceriam. Por isso, muita atenção ao navegar na internet”, alerta.

Notícias Relacionadas

Covid-19: chega ao fim estado de emergência em saúde pública no Brasil

Segundo o governo, nenhuma política pública de saúde será interrompida

Homem de 57 anos é preso após tentar beijar menina de 11 anos à força, em Orleans

Fato ocorreu na Rua Aristiliano Ramos, na tarde deste sábado, dia 21.

Número de transplantes de rim caiu nos últimos dois anos

Sociedade Brasileira de Urologia lançou campanha para estimular doação

PM de Criciúma efetua apreensão de mais de 20 quilos de maconha

A droga foi localizada na noite do último sábado, dia 21