Geral

“SC e o Brasil entrarão em uma guerra que ainda não começou”, alerta Carlos Moisés

Segundo o governador de Santa Catarina, os próximos dias de combate da pandemia de coronavírus "serão duros".

Divulgação

Após atualizar os dados de coronavírus em Santa Catarina, nesta sexta-feria (10), o governador Carlos Moisés fez uma previsão sobre os próximos dias de combate à Covid-19. Segundo ele, serão difíceis em relação à luta contra a pandemia no Estado e no Brasil.

“Santa Catarina e o Brasil entrarão em uma guerra que ainda não começou. Posso dizer que os dias que virão serão muito duros para o nosso País e Santa Catarina. Nós assistiremos situações muito duras e o que a gente precisa é mitigar o efeito dessa pandemia”, disse Carlos Moisés.

Porém, o governo do Estado deve anunciar a liberação de novas atividades econômicas neste sábado (11). No entanto, o governador adiantou que não serão liberadas, no momento, as atividades e shopping centers e reunião de pessoas em lugares públicos, por exemplo.

Segundo Moisés, o governo segue trabalhando para o convívio dos catarinenses com o vírus. Além disso, ele acrescentou que existe a possibilidade de retomar medidas mais restritivas, caso “a linha volte a mostrar outro comportamento”, ao se referir ao números de casos.

Com informações do site ND Mais

Notícias Relacionadas

Santa Catarina registra dois novos casos de coronavírus e divulga plano de contingência para enfrentar a doença

Coronavírus em SC: Governador planeja retomada gradativa da atividade econômica e projeta 713 novos leitos de UTI

O objetivo é adequar as medidas de isolamento à necessidade dos catarinenses com segurança.

Prefeito de Nova Veneza assina decreto de formação da Comissão de Acompanhamento, Controle, Prevenção e Monitoramento ao Coronavírus

Nova Veneza não tem casos confirmados da doença, apenas pessoas em isolamento domiciliar que já foram acompanhados, mas devem permanecer em quarentena pois chegaram de viagem.

Em Laguna, governador autoriza emissário terrestre para a praia do Mar Grosso e libera recursos para hospital

A projeção da Casan é que o empreendimento fique pronto em janeiro de 2020. O emissário é uma rede de 2.718 metros de extensão e diâmetro de 315 milímetros, com tubos de polietileno.