Saúde

SC inicia aplicação da 3ª dose de vacina contra Covid-19 em novo grupo

Governo do Estado distribui 33.714 doses da Pfizer aos municípios nesta segunda-feira (20); reforço em idosos e vacinação de adolescentes seguem em SC

Divulgação

O governo de Santa Catarina distribui 33.714 doses da vacina Pfizer aos municípios nesta segunda-feira (20). A remessa é destinada para o início da aplicação da 3ª dose de vacina contra a Covid-19 nas pessoas com alto grau de imunossupressão.

O intervalo para a dose de reforço deverá ser de 28 dias após a última dose do esquema básico.

A distribuição para as 17 UDVEs (Unidades Descentralizadas de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina) iniciou às 8h. De acordo com a Dive/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica), os municípios poderão iniciar a aplicação do imunizante assim que receberem as novas doses.

A recomendação para aplicação da dose de reforço em pessoas com alto grau de imunossupressão partiu do Ministério da Saúde, sendo que as orientações foram detalhadas em nota técnica divulgada no fim de agosto.

São consideradas pessoas com alto grau de imunossupressão aquelas enquadradas nas seguintes condições:

Imunodeficiência primária grave;

Quimioterapia para câncer;

Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras;

Pessoas vivendo com HIV/Aids com CD4 <200 céls/mm3;

Pessoas que fazem uso de corticoides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias;

Pessoas que fazem uso de drogas modificadoras da resposta imune (anexo 2); pacientes em hemodiálise;

Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas (reumatológicas, auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias).

Documentos para imunossuprimidos:

Cadastros já existentes nas Unidades de Saúde ou outros serviços dos municípios que comprovem a condição;

Atestado médico ou relatório médico com a indicação da condição da pessoa, contendo a descrição do CID e prazo de validade de 1 ano para as prescrições de medicamentos de uso não controlados;

Atestado médico ou relatório médico com a indicação da condição da pessoa;

Prescrição médica ou exames ou receitas que deixem claro a condição da pessoa considerando o prazo de validade de 1 ano para as prescrições de medicamentos de uso não controlados.

Segunda dose

Nesta distribuição também foram enviadas às UDVEs, 248.555 doses da vacina contra a Covid-19 para aplicação da segunda dose, sendo 28.050 da Coronavac; 128.700 doses da Pfizer; e 91.805 doses da AstraZeneca.

As doses da Pfizer devem ser usadas para completar os esquemas vacinais das pessoas que receberam a primeira dose (D1) há pelo menos 8 semanas, conforme deliberação da CIB (Comissão Intergestores Bipartite) aprovada em reunião extraordinária no último dia 16, que antecipou a aplicação da segunda dose de 12 para 8 semanas.

O diretor da Dive, João Augusto Brancher Fuck, ressalta que as vacinas encaminhadas para aplicação da segunda dose devem ser utilizadas, exclusivamente, para este fim.

“A utilização indevida dessas doses como primeira dose pode acarretar prejuízos para a população, pois pode haver falta de doses no futuro para completar os esquemas vacinais”, explica o diretor.

Dose de reforço em idosos

Neste mês, Santa Catarina iniciou a aplicação de doses de reforço da Pfizer em idosos com mais de 70 anos.

A dose de reforço é destinada a idosos que receberam a segunda dose ou dose única da vacina, ou seja, completaram o esquema vacinal, há pelo menos 6 meses, independente do imunizante aplicado.

A vacinação ocorre de forma escalonada, por idade, da maior para a menor, conforme a disponibilidade de doses a serem encaminhadas pelo Ministério da Saúde.

Idosos de 85 anos e mais;
Idosos de 80 a 84 anos;
Idosos de 75 a 79 anos;
Idosos de 70 a 74 anos.

Vacinação de adolescentes

A vacinação dos adolescentes de 12 a 17 anos continua em Santa Catarina. A prioridade é daqueles portadores de comorbidades, deficiência permanente, gestantes, puérperas, lactantes e sob medidas sócio educativas.

A vacina destinada a esse público é a do laboratório Pfizer, conforme autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A aplicação da vacina nesse grupo etário foi mantida, mesmo após o Ministério da Saúde recomendar retirar adolescentes sem comorbidades da lista de vacinação contra Covid-19.

A Dive/SC, por sua vez, justifica a decisão com base no posicionamento da OMS (Organização Mundial da Saúde) que aponta que testes indicam eficácia e segurança do imunizante para a faixa etária.

Com informações do ND+

Notícias Relacionadas

Engenheiro da Famor esclarece aos vereadores de Orleans sobre trabalhos realizados

Na Ordem do Dia, foram aprovados Projeto de Lei Complementar, Moção de Apoio, Requerimento e Indicação.

Um projeto de lei e seis proposições pautam sessão do Legislativo de Lauro Müller

Atletas de Muay Thai, Karatê e Jiu Jitsu de Criciúma conquistam pódio em competições

Disputas foram no Rio de Janeiro e em Videira

“Ela era o tesouro da vida dele”, diz tia de policial morto pela filha em SC

Neife Werlang, de 46 anos, foi morto na sexta-feira (18) em São Miguel do Oeste; duas suspeitas estão apreendidas em Chapecó