Geral

SC tem aumento de 89,7% nos focos de dengue comparado ao mesmo período de 2020

Ainda há 115 municípios infestados e quatro em situação de epidemia; cinco óbitos já foram causados pela doença.

Divulgação

O primeiro semestre de 2021 registrou um aumento de 89,7% nos focos do mosquito Aedes aegypti em Santa Catarina, se comparado ao mesmo período de 2020. Os dados são da Dive/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica), e ainda apontam que, atualmente, 115 municípios são considerados infestados.

Entre a primeira semana do ano e esta sexta-feira (9), foram notificados 29.133 casos de dengue no Estado. Desses, 16.853 foram confirmados, 8.727 foram descartados, 3.085 ainda estão sob análise e 468 apresentaram resultado inconclusivo.

Ainda de acordo com o órgão de vigilância, 16.440 casos são autóctones, quando a transmissão ocorre dentro do Estado, 53 casos são importados e 212 ainda estão em investigação. Com relação às mortes, já foram contabilizadas cinco. A primeira ocorreu abril. Em maio, foram quatro vítimas.

Epidemia

Atualmente, o Estado de Santa Catarina registra quatro cidades em situação de epidemia. Joinville, no Norte do Estado, apresenta quase 88,7% dos casos em 2021, e a taxa de incidência é de 2.439,4 casos por 100 mil/hab.

Navegantes também enfrenta situação de epidemia, com 649 casos autóctones. A taxa de incidência no município é de 796,6 casos por 100 mil/hab. Em seguida, aparece a cidade de Camboriú, com 294 casos e taxa de incidência em 354,3. Por fim, o município de Santa Helena tem 48 casos autóctones e taxa de incidência em 2.181,8 casos por 100 mil/hab.

O conceito de epidemia é aplicado através da relação entre o número de casos confirmados e de habitantes. A OMS (Organização Mundial da Saúde) afirma que há transmissão epidêmica quando a taxa de incidência é maior de 300 casos de dengue por 100 mil habitantes.

Infestação

Apesar da epidemia só estar ocorrendo em cidades do Norte catarinense, a infestação também é outro conceito preocupante. O critério para defini-la é através da disseminação e manutenção dos focos. Os dados mostram que a região mais castigada pela infestação, de um modo geral, é a do Grande Oeste.

O que é a dengue?

A dengue é transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti, quando este também carrega o vírus. Quando transmitido aos humanos, pode apresentar sinais ou não. Atualmente, há quatro sorotipos do vírus circulando no mundo, nomeados DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Todos causam os mesmo sintomas e não é possível diferenciá-los.

A febre alta, variando entre 39° e 40° C, pode ter duração de 2 a 7 dias. Também podem ocorrer episódios de dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo, nas articulações e no fundo dos olhos. 50% casos apresentam manchas pelo corpo, podendo atingir face, tronco, braços e pernas. Perda de apetite, náuseas e vômitos também podem são comuns.

Prevenção

Por fim, a Dive/SC alerta para ações que podem evitar a proliferação do mosquito e, consequentemente, da doença. Confira:

  • evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;
  • guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
  • mantenha lixeiras tampadas;
  • deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
  • plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
  • trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;
  • mantenha ralos fechados e desentupidos;
  • lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
  • retire a água acumulada em lajes;
  • dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados;
  • mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
  • evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;
  • denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;
  • caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para o atendimento.

Com informações do site ND Mais

Notícias Relacionadas

Santa Catarina registra dois novos casos de coronavírus e divulga plano de contingência para enfrentar a doença

Coronavírus em SC: Santa Catarina salta 16 posições e está entre os estados com menor incidência da doença no país

As estratégias de isolamento social e combate ao coronavírus levaram Santa Catarina a avançar para posição de destaque nacional no enfrentamento à pandemia.

Produtor do melhor mel do mundo, Santa Catarina prevê safra acima da média em 2020

Santa Catarina tem uma série de fatores que, naturalmente, favorecem o cultivo de um mel diversificado e até mais puro.

Cidasc alerta que comércio ambulante de mudas em Santa Catarina é proibido e deve ser denunciado

Essa proibição tem como objetivos, evitar a introdução de novas pragas no estado, bem como garantir a idoneidade das mesmas, contribuindo para o aumento da produtividade e da competitividade do setor agrícola catarinense.