Clima

Situação de emergência é decretada em três regiões de Criciúma

As intempéries climáticas dos últimos três dias produziram estragos e transtornos em alguns pontos do território criciumense. A sequência de fatos levou o prefeito Márcio Búrigo a decretar, no início da tarde desta segunda-feira (13), situação de emergência na região da Grande Santa Luzia e nos bairros Laranjinha e Quarta Linha, áreas mais castigadas pela ação das chuvas e vendavais. Informações do instituto Epagri/Ciram dão conta de que o acumulado estimado de precipitação chuvosa de sexta (10) a domingo (12) chega a aproximadamente 200 mm.

O decreto se restringe às três localidades e vale por 90 dias. Um relatório com informações e fotos foi encaminhado pela Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil à Secretaria de Estado da Defesa Civil. A partir da formulação deste documento e a análise dos prejuízos, serão disponibilizados materiais de construção e mantimentos para as pessoas afetadas. “Ficamos muito tristes pela necessidade da decretação, mas essa decisão acaba produzindo fatos que vão contribuir para a diminuição das avarias das famílias, que vão receber materiais e mantimentos e, em um segundo momento, possivelmente poderão retirar o FGTS”, justifica o prefeito.

Moradores do bairro Quarta Linha foram surpreendidos, nesta madrugada, pelos alagamentos consequentes do grande volume de chuvas que incidiu com maior contundência a partir das 23h10 deste domingo (12). Cerca de 300 moradores de cinco ruas tiveram de sair temporariamente das próprias residências. Profissionais da Defesa Civil Municipal, da Subprefeitura da Quarta Linha e do Corpo de Bombeiros prestaram os primeiros atendimentos.

Ainda na noite de domingo (12), uma ponte que conecta o bairro Laranjinha ao Condomínio Industrial Realdo Santos Guglielmi cedeu. O prefeito Márcio Búrigo esteve no local, que também foi vistoriado por engenheiros da Secretaria do Sistema de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana, durante esta segunda-feira (13).  

Assistentes sociais do Município de Criciúma estiveram na região afetada do bairro Quarta Linha e na Grande Santa Luzia para reunir dados com o objetivo de fazer um levantamento do prejuízo de cada família. “Temos um grupo preparado para receber esses dados e a determinação do governador para fornecer o auxílio necessário no tempo mais rápido possível. Vamos ceder telhas para os que perderam parte da cobertura das casas, além de itens básicos de assistência humanitária a quem mais precisar, como colchões, materiais de limpeza e cestas básicas”, disse o coordenador regional Sul da Defesa Civil do Estado, Rosinei da Silveira.

Orientações para o dia seguinte

Ângela Mello alertou os moradores de casas alagadas para cuidados necessários no retorno. Segundo ela, há a possibilidade de animais peçonhentos, levados pelas águas, aparecerem nos cômodos. A precaução fundamental, no entanto, é com a saúde. “Todas essas pessoas andaram na água contaminada. Qualquer sintoma, portanto, deve-se procurar a unidade de saúde mais próxima. No caso de aparecer cobras, acionar o Corpo de Bombeiros para evitar acidentes”, disse.

Prováveis agravantes ao temporal estão em investigação por uma equipe da Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri) em conjunto com a Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil. “O acontecido na Quarta Linha foge à normalidade. Vamos averiguar os reais motivos para o alagamento. A água chegou a ficar acima da linha da cintura e os bombeiros precisaram utilizar barcos para tirar pessoas das residências”, relatou.

A Defesa Civil de Criciúma está 24 horas à disposição do cidadão através dos telefones 199 e 9164-5298.

  • 6d1187bd3f13f4f3d83c7ec3cf6420ad
  • e63d721d99eafd28459077d37fa8eed9
  • e69e566f0b2c32d43d1dd28a1515dc5d
  • ffe069c414efb909db84ec93eccfc70b
  • efd3d1192c7d6cf423bacf96c226901f
  • ebbcfd2e2fabd21beb4d917862ef425f
  • ff2aa7d0425b820faf2a3b2ff134d8ea
  • e481b664b0a8296d3c0ab175cf2d9e20
  • 42296e9238f71c62d8d8f1e51d24fb83
  • 63a382ca5748299534c64c4ee5065668